UGT solidária com trabalhadores do Parque Industrial da Autoeuropa pela eletrificação do setor automóvel

Daniel Bernardino lamentou que a Coordenadora das Comissões de Trabalhadores do Parque Industrial da Autoeuropa ainda não tivesse tido resposta do Governo aos pedidos de reunião que enviou, no início do ano, aos ministérios do Trabalho e da Economia, para debater os problemas do setor automóvel em Portugal.

A UGT comprometeu-se esta terça-feira a colaborar no esforço de sensibilização do Governo para a importância da eletrificação do setor automóvel, respondendo de forma positiva ao repto das Comissões de Trabalhadores do Parque Industrial da Autoeuropa.

"A Coordenadora das Comissões de Trabalhadores do Parque Industrial da Autoeuropa pediu-nos para exercermos alguma influência no sentido de que o Governo os recebesse", disse o secretário-geral adjunto da UGT, Sérgio Monte, assegurando que a UGT vai dar todo o apoio possível neste processo com vista à modernização do setor automóvel em Portugal.

"O secretário-geral da UGT, que também esteve na reunião, deu nota de que essa questão [a eletrificação do setor automóvel] será um dos temas que iremos levar à concertação social, inclusive, para que os parceiros sociais e o próprio Governo olhem para esta situação e para este setor com olhos de ver", acrescentou Sérgio Monte.

O dirigente da UGT falava à agência Lusa após a reunião com a Coordenadora das Comissões de Trabalhadores de 19 empresas do Parque Industrial da Autoeuropa, que manifestou grande preocupação com o atraso na produção de automóveis elétricos em Portugal, que, disse, "contrasta com o desenvolvimento do setor em Espanha".

Segundo Daniel Bernardino, da Coordenadora das Comissões de Trabalhadores do Parque Industrial da Autoeuropa, em Palmela, no distrito de Setúbal, o objetivo das reuniões já realizadas com a CGTP e com a UGT -- o encontro com a CGTP teve lugar no passado dia 05 de julho -- foi alertar as centrais sindicais e o próprio Governo para o "adormecimento" do país em relação à necessidade de se proceder à eletrificação do setor automóvel.

"Aquilo que a coordenadora transmitiu, tanto à central CGTP como desta vez com a central UGT, são as nossas preocupações no que diz respeito àquilo que é necessário trazer para Portugal: investimentos para a eletrificação do setor automóvel", disse Daniel Bernardino.

"Dissemos à UGT que precisamos deles para remarem connosco neste caminho, porque temos a nossa vizinha Espanha muito mais avançada no que diz respeito ao desenvolvimento do setor automóvel, no campo da eletrificação, em fábricas de baterias que já se começam a instalar em Espanha e carros elétricos, que também já se começam a produzir e que garantem postos de trabalho no país vizinho", acrescentou.

Segundo Daniel Bernardino, a Coordenadora das Comissões de Trabalhadores da Autoeuropa está também a dinamizar um encontro do setor automóvel, que terá lugar no final de setembro em Palmela, e para o qual vai convidar formalmente a CGTP e a UGT, bem como investigadores e as principais empresas do setor, onde se propõe abordar temas como a digitalização, eletrificação, indústria 4.0 e a transformação do setor automóvel.

O representante dos trabalhadores do Parque Industrial da Autoeuropa afirmou-se satisfeito com a recetividade demonstrada pela UGT, tal como já tinha acontecido com a CGTP, para a causa da eletrificação do setor automóvel.

Daniel Bernardino lamentou, no entanto, que a Coordenadora das Comissões de Trabalhadores do Parque Industrial da Autoeuropa ainda não tivesse tido resposta do Governo aos pedidos de reunião que enviou, no início do ano, aos ministérios do Trabalho e da Economia, para debater os problemas do setor automóvel em Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de