Um terço dos fornecedores da dona da Zara é português

Pablo Isla, presidente da Inditex
Pablo Isla, presidente da Inditex

“Portugal é uma extensão
natural muito próxima da politica do nosso grupo. é um membro da
mesma cultura.” Foi desta forma que Jesús Echevarría, diretor-geral de comunicação e relações institucionais do grupo Inditex, definiu a relação com o mercado português, o mesmo que há 25 anos
marcou a internacionalização do grupo sediado na Corunha, com a
abertura da loja no Porto.

Num encontro com os jornalistas na sede da dona da Zara, Pull & Bear, Massimo Dutti, Bershka, entre outras, o responsável pela
comunicação explicou que é política da companhia ter fornecedores de
proximidade, sendo 51% em volume repartidos por Portugal – que totaliza cerca de 200 -, Galiza e Marrocos. Isto, frisa o mesmo
responsável, para satisfazer o que o cliente quer e não o que as
marcas lhe querem impor. A isto Jesús Echevarría chama de
“flexibilidade no modelo”, ou seja, “escutamos o que o
cliente pede e a partir dai tomamos as decisões.”

Duas vezes por semana, cada loja reporta o produto com mais
procura, o que menos agrada ou alguma peça sugerida pelo cliente. Duas horas mais tarde, a central analisa o pedido e decide se
incorpora a novidade na sua produção, oito horas depois é definida
a logística, envolvendo as oito plataforma espalhadas por Espanha. E o produto estará na loja dentro de 36 horas se for de camião e 48
se for de avião.

Presente em 86 mercados, o grupo tem em Portugal o terceiro pais
com maior número de lojas – a seguir a Espanha e China – com 348
estabelecimentos, em cerca de 50 cidades de Norte a Sul do país.

Revelando não haver intenção de abrir mais lojas em Portugal,
apenas manter a estratégia de estabilidade, Jesús Echevarría
aponta como possível novo mercado o continente africano.

Com uma produção anual de 970 milhões de peças por ano
(2011), a Indetex registou lucros de 2,3 mil milhões de euros, em 2012. Espanha é responsável por 20% das vendas do grupo, o
mesmo grupo que é responsável por 80% das exportações da
Galiza.

No mundo inteiro a Inditex emprega cerca de 120 mil pessoas, cerca
de 6 mil das quais em Portugal.

*Na Coruña, a convite da Inditex

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

A presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Isabel Mota, conversa com o presidente e CEO da PTT Exploration and Production (PTTEP), Phongsthorn Thavisin durante a conferência de imprensa de anúncio da venda da Partex à empresa tailandesa, na sede da fundação em Lisboa
TIAGO PETINGA/LUSA

Gulbenkian vende negócio do petróleo e gás. Onde vai investir agora?

Fotografia: D.R.

Deficiência. Peritos aconselham troca de benefícios fiscais por outros apoios

Outros conteúdos GMG
Um terço dos fornecedores da dona da Zara é português