Vem aí uma nova versão do Android. Conheça as grandes novidades

Google deverá apresentar a nova versão do Android em maio, no seu grande evento anual (Google I/O), e deverá lançar a versão definitiva em agosto.

A Google anunciou uma nova versão do sistema operativo móvel Android. A tecnológica concentrou os seus esforços em pequenas melhorias no software e decidiu não fazer uma grande transformação visual. Em baixo destacamos aquelas que são as principais novidades que vão chegar aos smartphones dos utilizadores.

Por agora está disponível uma primeira versão de testes do Android P - nome provisório -, apenas indicada para programadores ou para os utilizadores mais avançados, devido à instabilidade do sistema. A versão definitiva do software para os smartphones compatíveis só vai chegar no terceiro trimestre.

Se o plano de lançamento da Google for semelhante aos dos anos anteriores, depois de anunciada em março, a empresa vai destacar a nova versão do Android em maio no seu grande evento anual (Google I/O) e deverá lançar a versão definitiva em agosto.

Todos os anos a Google lança uma nova versão do Android. A última a chegar ao mercado, denominada de Android 8.0 Oreo, foi lançada em agosto de 2017. Apesar das novidades que trouxe, o Android 8.0 é uma das versões menos utilizadas e só está instalado em 1,1% dos mais de dois mil milhões de dispositivos Android usados em todo o mundo.

Poderão o Android P e as suas novidades reverter esta situação?

Notificações com novo design e mais completas

A Google transformou a forma como as notificações de mensagens e emails são mostradas. O Android P não só vai mostrar a última mensagem recebida, como parte da conversa que antecedeu essa mensagem para que o utilizador não perca o contexto.

As novas notificações também vão mostrar diretamente conteúdos multimédia - como imagens e autocolantes animados - e vão suportar respostas inteligentes, isto é, respostas pré-definidas sugeridas ao utilizador e que têm em conta o contexto da conversa.

Novo menu de definições

Para arranjar mais espaço para as notificações dos utilizadores, a Google teve de tornar o menu de definições mais compacto. Os ícones agora estão dispostos em pequenos círculos, uma escolha de design que está mais em linha com o restante software.

Segundo as informações partilhadas, o menu de definições também vai funcionar de forma contextual, mostrando os ícones que melhor podem servir o utilizador mediante as notificações que existem naquele momento.

Maior segurança

Uma pequena mudança que pode fazer toda a diferença. O Android P vai impedir que as aplicações que estão em funcionamento em segundo plano não possam aceder ao microfone, à câmara e aos outros sensores do smartphone.

Muitos piratas informáticos tentam ganhar acesso a estes sensores sem que o utilizador perceba e no Android P estes ataques só serão bem sucedidos quando o utilizador estiver efetivamente a usar a aplicação infetada.

Suporte para ecrãs com recorte

Quando a Apple apresentou o iPhone X, o design do smartphone não foi consensual, muito por culpa da barra preta que existe na parte superior do ecrã. Esta barra, conhecida como notch, começou também a ser adotada por vários fabricantes que utilizam o sistema operativo Android.

A Google, enquanto empresa que precisa de garantir um produto que responde às necessidades de dezenas de fabricantes, decidiu adaptar o novo Android a esta realidade. O próprio sistema operativo vai adaptar-se às diferentes tipologias de notch que existem - uns mais largos, outros mais altos. Na versão de testes, por exemplo, os programadores podem simular um notch virtual para poderem adaptar as suas aplicações a esta nova tendência.

Posicionamento dentro de edifícios

O Android P vem equipado com uma tecnologia chamada WiFi Round-Trip-Time. Este sistema permite conhecer o posicionamento de um utilizador dentro de um edifício, com uma margem de erro de apenas um ou dois metros. De que forma? O sistema operativo vê a que distância está o smartphone de diferentes pontos Wi-Fi e depois apresenta uma estimativa.

Esta funcionalidade vai ser muito valiosa na criação de sistemas de orientação dentro dos edifícios. Vai ao museu Louvre e quer ir diretamente ao quadro da Mona Lisa? Em breve uma aplicação poderá guiá-lo pelo percurso mais rápido e com grande precisão.

Editar capturas de ecrã

É uma das funcionalidades mais simples e provavelmente uma das mais usadas. A captura de ecrã permite guardar numa imagem aquilo que está a ser mostrado no ecrã do smartphone.

Com a nova versão do Android os utilizadores vão poder editar o screenshot imediatamente depois de captado. Vai ser possível selecionar apenas uma parte da imagem guardada ou fazer anotações que podem ajudar a contextualizar aquela informação no futuro.

Suporte para multi-câmaras

Cada vez mais smartphones têm uma câmara fotográfica que é composta por mais do que um sensor - há até rumores que dizem que o próximo topo de gama da Huawei terá um módulo com três câmaras.

Se os fabricantes sempre adaptaram o Android para as suas próprias necessidades, agora é a Google a incluir de origem no sistema operativo o suporte para vários sensores. Isto vai permitir que os programadores possam desenhar aplicações específicas e que tirem o máximo partido do hardware que existe nos equipamentos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de