Alemanha

Vendas da Bosch sobem para 78 mil milhões de euros em 2017

bosch

As vendas da Bosch subiram 6,7% em 2017 e atingiram o valor mais elevado de sempre.

As vendas da Bosch subiram 6,7% em 2017, face ao ano anterior, para 78 mil milhões de euros, anunciou a fabricante alemã de motores e eletrodomésticos esta quarta-feira.

“Ultrapassámos as nossas previsões e aumentámos a rentabilidade. Em 2017, o valor de vendas foi o mais alto de sempre”, disse, em comunicado, o presidente do Conselho de Administração da Bosch, Volkmar Denner.

No período de referência, os lucros das operações antes de juros e taxas (EBIT) aumentaram 18% para 5,3 mil milhões de euros.

Para 2018, a empresa vislumbra “inúmeras oportunidades”, no sentido de “trazer a conectividade para mais áreas”, como fábricas, edifícios e cidades.

“A transformação proporciona-nos uma oportunidade única de mostrar que na Bosch a excelência não está apenas no papel, mas em exemplos práticos quer no sentido tecnológico, quer no comercial”, concluiu Volkmar Denner.

De acordo com os dados da empresa, por setor, as vendas de Soluções e Mobilidade, em 2017, aumentaram 7,8% para 47,4 mil milhões de euros; Bens e Consumo subiram 4,5% para 18,5 mil milhões de euros; Tecnologia Industrial valorizou-se 7,7% para 6,7 mil milhões de euros e o setor de Tecnologia Energética e Edifícios registou vendas de 5,4 mil milhões de euros, que representam um aumento de 3,1%.

Por região, na Europa as vendas da Bosch aumentaram 5,5% para 40,7 mil milhões de euros; na América do Norte os valores mantiveram-se inalterados; a América do Sul contou com um crescimento de 15% para 1,6 mil milhões de euros e na Ásia-Pacífico e África as vendas fixaram-se em 23,6 mil milhões de euros, o que traduz uma subida de 14%, face ao ano anterior.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Vítor Constâncio, na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República. TIAGO PETINGA/LUSA

BCP, Berardo e calúnias. As explicações de Constâncio no inquérito à CGD

Outros conteúdos GMG
Vendas da Bosch sobem para 78 mil milhões de euros em 2017