mercado automóvel

Venderam-se mais carros elétricos este ano do que nos últimos sete

Foto: Direitos Reservados
Foto: Direitos Reservados

Portugueses já compraram mais elétricos em 2018 do que nos sete anos anteriores. Gasolina cresceu 20,5%.

Os carros a gasóleo são cada vez menos uma opção para os portugueses. As vendas destes automóveis caíram 10,8% nos primeiros onze meses do ano em comparação com o período homólogo de 2017, contrariando a subida de 3,4% do mercado de veículos novos, revelam os dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

Os portugueses estão a optar mais pelas alternativas, em especial pelos elétricos: já foram vendidos mais carros sem emissões este ano do que no total dos últimos sete anos.

Os carros totalmente elétricos representam o aumento mais expressivo: foram comprados 3778 veículos sem emissões entre janeiro e novembro, o que corresponde a um aumento de 168,7% face ao mesmo período do ano passado. Nos sete anos anteriores, tinham sido comprados 3669 automóveis elétricos novos.

Entre janeiro e novembro, foram comprados 112 061 automóveis a gasóleo, o que compara com os 125 691 veículos diesel adquiridos no mesmo período do ano passado. Com esta quebra, a quota de mercado deste combustível desceu dos 61,29% para os 52,80% em apenas um ano.

Mas isso não impediu que, ao todo, fossem vendidos mais carros em Portugal: 212 141 até novembro deste ano, contra 205 076 no mesmo período de 2017. Isso deveu-se aos ganhos nas vendas de automóveis de todos os outros combustíveis: mais 20,5% nos veículos a gasolina, mais 60,2% nos automóveis híbridos e mais 9,2% nos carros movidos a gás (GPL ou natural).

Gasolina em alta

Em Portugal, o aumento da compra de carros a gasolina – em detrimento dos veículos a gasóleo – acompanha a tendência europeia.

Esta situação acabou por ter impacto, por exemplo, na produção de automóveis da Autoeuropa e de outras fábricas do grupo Volkswagen na Europa, que tiveram de suspender a produção por vários dias ao longo do ano por falta de motores a gasolina.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa. (Fotografia: Mário Cruz/ Lusa)

Carlos Costa: “Não participei nos 25 grandes créditos que geraram perdas” à CGD

Pedro Granadeiro / Global Imagens

Reclamações. Anacom acusa CTT de divulgar informação enganosa

Paulo Macedo, presidente da CGD

CGD cumpre “com margem significativa” requisitos de capital do BCE

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Venderam-se mais carros elétricos este ano do que nos últimos sete