Vendas de carros a gasóleo em mínimos de 2009

"Seria ingénuo dizer que a fraude no grupo VW não teve qualquer impacto" nas vendas, avalia Al Bedwell, da consultora LMC

As vendas de carros a gasóleo deverão registar o número mais baixo desde 2009. Esta é a previsão da consultora LMC Automotive com base nos registos publicados em 17 países europeus até ao final de setembro, refere esta segunda-feira o Financial Times.

A consultora prevê que a quota de mercado dos motores Diesel recue 2,6 pontos para os 49,3% no final deste ano. Esta é a maior quebra em cerca de uma década. A fraude das emissões em 11 milhões de carros a gasóleo do grupo Volkswagen, revelada em setembro de 2015, é apontada como a principal causa para esta descida.

"Não saberemos por mais alguns anos se este será o ponto de viragem . Mas seria ingénuo dizer que a fraude no grupo VW não teve qualquer impacto" nas vendas, avalia Al Bedwell, responsável da LMC, citado pela mesma publicação.

Leia aqui: Oficial. AT&T comprou a dona da HBO e da CNN

Em 2009, a quota de mercado dos carros a gasóleo recuou para 45,8% por causa dos incentivos ao abate de veículos introduzidos, na altura, por diversos países da União Europeia, recorda a consultora. Dois anos depois, as vendas destes automóveis registaram uma quota de mercado de 55,7%, a percentagem mais alta dos últimos anos.

Espera-se que as vendas de carros movidos a gasóleo diminuam nos próximos na sequência das normas cada vez mais apertadas da parte da Comissão Europeia, que vão obrigar as marcas a aumentar os custos com estas unidades para cumprir as novas regras.

Isto vai reforçar a tendência de retirada dos motores Diesel dos automóveis em segmentos mais baixos do mercado. A Renault, por exemplo, admitiu em setembro que pode deixar de vender os modelos Clio e Mégane com estas unidades, por uma questão de custos.

 

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de