mercado automóvel

Vendas de carros ligeiros caem 14% no mês das novas regras de emissões

Fotografia: REUTERS/Michael Kooren
Fotografia: REUTERS/Michael Kooren

Praticamente todas as marcas registaram resultados negativos em setembro depois da forte subida do mercado em agosto, antes da entrada da norma WLTP.

As vendas de carros ligeiros de passageiros caíram 14% em setembro. No mês em que entraram em vigor as novas regras para homologação de veículos, os portugueses compraram 12.771 automóveis ligeiros, o que compara com os 14.857 registos do mesmo mês de 2017. Apesar da quebra, venderam-se mais carros desde o início de 2018 do que no período homólogo do ano passado, segundo os dados da ACAP – Associação Automóvel de Portugal. No total do mercado, as vendas diminuíram 10,1% em setembro.

“Na sequência do aumento registado em agosto, associado a uma antecipação de compras decorrente da transição para um novo ciclo de ensaios (WLTP), com impacto na medição das emissões de CO2, o mercado de ligeiros de passageiros corrige com uma diminuição no número de unidades matriculadas de ligeiros de passageiros em setembro”, refere a ACAP na nota enviada à imprensa esta segunda-feira. Em agosto, as vendas de carros ligeiros aumentaram 28%.

Praticamente todas as marcas registaram resultados negativos em setembro. A Peugeot, com a subida de 1%, foi uma das poucas fabricantes que escaparam à quebra do mercado automóvel nacional e liderou as vendas no último mês. Logo a seguir ficaram as marcas de segmento superior: Mercedes e BMW ficaram em segundo e terceiro lugar das vendas em setembro, respetivamente.

A Renault, habitual líder da tabela, apenas conseguiu o quarto lugar das vendas em setembro, devido a uma quebra de registos de 34,3%. A marca francesa, ainda assim, conservou a liderança do mercado desde o início do ano. No ranking anual, Peugeot e Mercedes ocupam a segunda e terceira posições, respetivamente.

As mudanças de emissões, no entanto, não causaram qualquer problema às marcas de luxo. Em setembro, a Jaguar vendeu mais carros do que no mês de 2017; a Aston Martin vendeu três carros no mês passado, quando há um ano só tinha vendido um; a Ferrari vendeu um carro, algo que não aconteceu em setembro de 2017.

Setembro marcou a entrada da nova norma de emissões WLTP, que prevê consumos e valores de emissões mais realistas. As marcas temiam um aumento generalizado do preço dos automóveis novos a partir de 1 de setembro, mas tal não aconteceu porque o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, deu instruções à Autoridade Tributária (AT) para alterar as tabelas de impostos aplicadas aos automóveis e neutralizar o efeito da entrada da nova norma de emissões (WLTP). Estes efeitos estendem-se à preparação do Orçamento do Estado para 2019.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Fábio Poço/Global Imagens)

Alojamento Local. Há 11 desistências por dia desde que nova lei entrou em vigor

Fotografia: Regis Duvignau / Reuters

Clandestinidade preocupa sindicato da construção

Fotografia: REUTERS/Juan Medina

Extensão do prazo da OPA ao Dia faz parar operações de venda do grupo

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Vendas de carros ligeiros caem 14% no mês das novas regras de emissões