Vendas

Vendas do Freeport crescem 6,2% em 2015

Freeport tem apostado na atração de turistas chineses nos últimos anos. Fotografia: DR
Freeport tem apostado na atração de turistas chineses nos últimos anos. Fotografia: DR

O Freeport Fashion Outlet registou, em 2015, um recorde de vendas ao crescer 6,2% face a 2014, ano em que assinala a década de atividade.

Resultado da atração de visitantes nacionais e internacionais, do aumento do valor médio de compra e do reforço da oferta de marcas nacionais e internacionais, o volume de vendas do Freeport Fashion Outlet cresceu 6,2% face ao período homólogo.

“Este novo recorde de vendas, após o recorde de vendas com que celebrámos o nosso 10º aniversário, mostra que estamos numa rota de crescimento sustentado e que as opções estratégicas que tomámos foram bem-sucedidas”, diz Nuno Oliveira, diretor-geral do Freeport Fashion Outlet.

Em 2015, ano em que o mercado português de retalho não alimentar cresceu 1,1% nos, segundo dados do INE, o número de visitantes do centro registou também um crescimento de 3,8% repartido entre visitantes nacionais e internacionais.

Este novo recorde de vendas, após o recorde de vendas com que celebrámos o nosso 10º aniversário, mostra que estamos numa rota de crescimento sustentado e que as opções estratégicas que tomámos foram bem-sucedidas

De acordo com o Freeport, a aposta estratégica no turismo de compras continuou a constituir-se como um vetor de crescimento, com as vendas a clientes extracomunitários a crescer 13% em valor, e a registar um aumento de 4% na compra média destes visitantes (dados Global Blue – Tax Refund).

Os países extracomunitários mais importantes nas vendas do outlet em 2015 foram Angola, Brasil e China, com os visitantes chineses a representar uma subida de 77% no volume de compras face ao ano transato.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
(Fotografia: Pedro Granadeiro / Global Imagens )

Vendas de carros descem 71,6% em maio

O primeiro-ministro, António Costa. Fotografia: António Cotrim/Lusa

PIB pode registar quebra entre 9% a 15% em 2020

Lisboa, 25/05/2016 - Aspecto do Palco Mundo, durante uma reportagem do Diário de Notícias sobre o que acontece nos dias em que no Festival Rock in Rio não há concertos.

( Gustavo Bom / Global Imagens )

APSTE: Setor dos eventos com prejuízos de 20 milhões no segundo trimestre

Vendas do Freeport crescem 6,2% em 2015