Comércio

Vendas estão a subir entre 10% a 15% este Natal

Presidente da CCP, João Vieira Lopes
Presidente da CCP, João Vieira Lopes

CCP já nota aumento nas vendas, mas duvida que a receita seja maior para os comerciantes

As vendas na quadra natalícia estarão a subir entre 10% a 15% este ano, comparativamente ao ano anterior, disse à Lusa o vice-presidente da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP).

“As informações que tenho recebido dos vários pontos do país são de que as vendas não estarão muito mal, estarão acima do ano passado, entre 10% a 15%”, afirmou Vasco Mello.

“Há uma recuperação do consumo, nomeadamente no calçado, sendo certo que no vestuário e na eletrónica é menor”, acrescentou o vice-presidente da confederação.

“O calçado está a ter um bom comportamento”, acrescentou, adiantando que a área alimentar também regista uma boa dinâmica.

O período de Natal é capaz de representar, no mínimo, ao dobro das vendas de um mês normal, exemplificou Vasco Mello, adiantando que o peso das vendas nesta quadra depende do setor.

Relativamente a lei dos saldos, cujas novas regras estão em vigor desde 2015, Vasco Mello salientou que “a existência de promoções tem tido alguma influência para o aumento das vendas”, mas alertou para a questão da margem comercial.

“Esta famosa lei” levou a uma “diminuição brutal das margens de comercialização”, apontou, defendendo que “todo este modelo deve ser repensado”.

Com as promoções, “até podem ter mais vendas, mas não sei se os comerciantes ganham mais dinheiro”, disse.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
António Mexia, presidente executivo da EDP. Fotografia: REUTERS/Pedro Nunes

Chineses da EDP não abdicam de desblindar estatutos. OPA quase morta

O dia, segunda-feira de Páscoa, prejudicou a concentração dos ex-operários junto à casa-mãe, a Miralago. Fotografia: Tony Dias/Global Imagens

Ex-operários tentam evitar saída de máquinas da Órbita

O secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública (SINTAP), José Abrãao, numa manifestação. Fotografia: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

FESAP. Inspetores do Estado podem ficar 10 anos sem progredir nas carreira

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Vendas estão a subir entre 10% a 15% este Natal