Vila Galé: “Interior precisa de condições para se valorizar”

O grupo hoteleiro nacional está responsável por transformar a Coudelaria de Alter num hotel de quatro estrelas. A abertura está prevista para 2020.

Na Coudelaria de Alter vai nascer um hotel do grupo Vila Galé, de quatro estrelas. Jorge Rebelo de Almeida, presidente do grupo, acredita que “o interior do país precisa desesperadamente de ter condições para se valorizar”.

“Podia dizer que é por solidariedade, coesão social, podia dizer que é por tudo isso, e também o é, mas continuo a dizer que a nossa aposta, Vila Galé, no interior é em produtos viáveis e rentáveis. Este produto, se houver um esforço conjunto de todas as entidades envolvidas, pode ser um grande êxito”, disse o empresário na cerimónia de lançamento da primeira pedra do Hotel Vila Galé Alter Real.

Aliás, há já provas dadas disso mesmo. O grupo tem um hotel em Évora que, disse, “está a ser um sucesso grande” e prepara-se para abrir no segundo trimestre um hotel em Elvas, que partilha com a Coudelaria de Alter a circunstância da sua transformação.

Os dois edifícios foram incluídos no Revive, programa do governo que visa dar uma segunda vida a património cultural e histórico devoluto através da concessão dos imóveis a privados para desenvolvimento de projetos turísticos. São 33 no total, dos quais seis já foram concessionados – estes dois ao Vila Galé.

Na Coudelaria de Alter vai assim nascer o Hotel Vila Galé Alter Real, que terá como tema o turismo equestre. Terá 76 quartos, bar, piscinas, spas, biblioteca, enoteca e um restaurante com uma forte aposta na gastronomia regional.

O investimento será de 8,5 milhões de euros. A abertura está prevista para o final do primeiro trimestre do próximo ano e deverá permitir a criação de 40 postos de trabalho.

A concessão da Coudelaria de Alter, atribuída a este grupo hoteleiro, é por um período de 50 anos.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de