Hotelaria

Vila Galé investe 13 milhões para reforçar marca no Douro

No Vila Galé Douro Vineyards há diariamente visitas à adega e provas de vinhos produzidos na quinta. Fotografia: Direitos reservados
No Vila Galé Douro Vineyards há diariamente visitas à adega e provas de vinhos produzidos na quinta. Fotografia: Direitos reservados

Grupo português acaba de inaugurar a primeira fase do Vila Galé Douro Vineyards, projeto hoteleiro que alia produção de vinhos e de azeite

A Vila Galé acaba de juntar à sua rede hoteleira mais uma unidade e de duplicar a sua presença no Douro. Desta vez, o grupo liderado por Jorge Rebelo de Almeida formalizou uma parceria com o empresário António Parente e, num investimento que irá ascender a 13 milhões de euros, lançou mais um projeto na região, o Vila Galé Douro Vineyards. Com esta joint-venture, materializada na Xvinus, os empresários Rebelo de Almeida (60%) e António Parente (40%) reforçam os seus negócios hoteleiros e de produção de vinhos e de azeite.

O Vila Galé Douro Vineyards surge nas encostas durienses da Quinta do Val Moreira, propriedade em Armamar, reconhecida no célebre mapa do século XIX, desenhado pelo barão de Forrester. Com 25 hectares de vinha, dois de olival e 2,5 de amendoal, a Val Moreira oferece agora o seu nome à nova marca de vinhos e de azeite destes parceiros de negócios.

A Vila Galé já produz vinho e azeite no Alentejo, sob a insígnia Santa Vitória e, agora, reforça esta vertente de negócio entrando no mercado dos vinhos do Douro e do Porto. Também António Parente, responsável pela produção da Quinta de São Sebastião, em Arruda dos Vinhos, incrementa a sua presença no mercado vinícola e hoteleiro (explora sete unidades no Algarve).

Concluído em 2020
O empreendimento, que abriu portas no início deste mês, dispõe para já de sete quartos, piscina exterior, restaurante, bar e adega. Nesta primeira fase, o investimento ascendeu a oito milhões de euros e integrou a aquisição da quinta e a construção do núcleo inicial de hospedagem e infraestruturas para produção de vinho. Sob a marca Val Moreira foram já engarrafadas 60 mil unidades entre vinho tinto, branco e Porto, mas o objetivo é produzir anualmente 300 mil.

O projeto Vila Galé Douro Vineyards deverá estar totalmente concluído em 2020. Como adiantou Rebelo de Almeida na apresentação deste novo investimento, a segunda fase – que integrará mais 42 quartos e está orçada em cinco milhões de euros – está em processo final de licenciamento. O empresário prevê arrancar com a obra em junho e concluir no prazo de um ano.

Com esta nova unidade, o grupo Vila Galé passa a explorar uma rede de 33 hotéis (24 em Portugal e nove no Brasil). E outros se preparam para abrir. Segundo Rebelo de Almeida, o Vila Galé Elvas tem já a sua inauguração agendada para 31 de maio, após um investimento superior a cinco milhões na reabilitação do antigo Convento de São Paulo. No primeiro trimestre de 2020, será a vez do Vila Galé Serra da Estrela, projeto orçado em nove milhões. “O interior de Portugal é lindo, é uma região fabulosa, que precisa de marcas hoteleiras fortes”, frisou Rebelo de Almeida, que tem vindo a apostar nestas zonas do país. Aliás, a Vila Galé tem também em curso a recuperação da Coudelaria de Alter do Chão, uma concessão no âmbito do programa Revive, que implica um investimento da ordem dos oito milhões.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Estações do Metro do Porto não têm cancelas, o que dificulta o controlo da validação dos passes. ( Igor Martins / Global Imagens )

Metro do Porto e Carris reforçam fiscalização em ano de novos passes

Transito-entre-Alcacer-e--85d4639cd3287b64acb4206f15452cc3b8795932

Veículos a diesel vão cair de 63% em 2016 para 8% em 2030

Ataques de drones afetaram unidade de produção de petróleo em Abqaiq, no leste da Arábia Saudita. (REUTERS/Stringer)

Preços do petróleo disparam 20% após ataque na Arábia Saudita

Outros conteúdos GMG
Vila Galé investe 13 milhões para reforçar marca no Douro