Promoção

Vinho Verde com nova campanha à conquista de Lisboa

A carregar player...

Crescer e acrescentar valor é o objetivo. Estes são os vinhos mais vendidos em Portugal a seguir ao Alentejo

O Vinho Verde tem uma nova campanha de promoção no mercado nacional, através da qual pretende “crescer em valor”, posicionando os seus vinhos também na gama premium, e combater a sazonalidade, levando o consumidor a perceber que “há vinhos Verdes para todos os momentos do ano”. Ou seja, que o vinho Verde não é, necessariamente, todo jovem, leve e fresco, mas que há, também, vinhos “mais estruturados, encorpados e complexos, e com potencial de guarda”.

Num investimento de 220 mil euros, que inclui já os meios publicitários para 2019, a nova campanha foi criada pela agência 5002 e apela à descoberta da região, que viveu uma “enorme revolução qualitativa” nos últimos anos, resultado dos “investimentos em novas vinhas, novos sistemas de condução da vinhas, novos enólogos e na profissionalização da atividade”, e que pretende, agora, “reforçar o valor da denominação de origem, comunicando o alargamento do Vinho Verde a vinhos de maior valor acrescentado”, diz Carla Cunha, diretora de marketing da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV).

Já Manuel Pinheiro, presidente da CVRVV, destaca que o Vinho Verde é o segundo mais vendido em Portugal, com uma quota de 17%, a seguir ao Alentejo, mas admite que é um produto muito consumido a Norte, sendo que o objetivo este ano, é, também, crescer em Lisboa. “Trazer mais remuneração e valor à região é o objetivo”.

Mas nem só no mercado nacional é feita a aposta dos Verdes em 2019. Com mais de metade da sua produção destinada aos mercados externos, o vinho Verde é o vinho português mais exportado a seguir ao vinho do Porto. Exportou, em 2018, mais de 64 milhões de euros, para mais de 100 mercados, a um preço médio de 2,2 a 2,3 euros por litro. E este ano associou-se à região de Verona num projeto conjunto de promoção internacional. O investimento é de 3,4 milhões de euros, a três anos, e destina-se à promoção conjunta nos mercados da Dinamarca, França, Alemanha e Portugal.

Financiado em 80% por fundos comunitários, no âmbito dos projetos para ações de informação sobre o regime de qualidade dos produtos com denominação de origem protegida, o programa dirige-se a profissionais e aos consumidores da geração millennials. A comunicação será assente na “promoção da singularidade, qualidade e diversidade” dos vinhos em contexto educativo mas, também, experiencial. É o caso do Vinho Verde Wine Fest, o evento de promoção dos vinhos com provas, masterclasses e seminários, que anualmente decorre em Portugal, Nova Iorque e o Brasil (São Paulo e Rio de Janeiro) e que, este ano, chegará a Berlim.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
EDP_ENGIE2

EDP e Engie investem até 50 mil milhões para serem líderes em eólicas no mar

EDP_ENGIE2

EDP e Engie investem até 50 mil milhões para serem líderes em eólicas no mar

Da esquerda para a direita: Ricardo Mourinho Félix, secretário de Estado das Finanças, Angel Gurría, secretário-geral da OCDE, e Pedro Siza Vieira, ministro da Economia. Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens

OCDE. Dinamismo das exportações nacionais tem o pior registo da década

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Vinho Verde com nova campanha à conquista de Lisboa