Vinho Verde

Vinho Verde Wine Fest chega ao Brasil e aos Estados Unidos

A Região Demarcada dos Vinhos Verdes tem 18 mil viticultores
A Região Demarcada dos Vinhos Verdes tem 18 mil viticultores

A primeira ação externa do Vinho Verde Wine Fest decorre a 26 e 27 de maio no Rio de Janeiro, onde 20 produtores darão a conhecer cerca de 100 vinhos

O Rio de Janeiro, no Brasil, e Nova Iorque, nos Estados Unidos, são as próximas paragens do Vinho Verde Wine Fest. Depois de testado e consolidado o modelo no mercado nacional – a quarta edição do Vinho Verde Wine Fest decorre de 20 a 23 de julho, na Alfândega do Porto – a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) decidiu internacionalizar o conceito para alguns dos seus principais mercados de exportação.

“A estratégia de internacionalização do Vinho Verde é feita por passos. Primeiro há que criar imagem nos mercados e conquistar importadores e só depois de estabelecidos negócios e assegurada a notoriedade junto dos especialistas é que apresentamos o Vinho Verde em ações concretas dirigidas aos consumidores”, explica o presidente da CVRVV.

Brasil, Estados Unidos e Alemanha são alguns dos países onde a comissão tenta já levar o Vinho Verde ao cliente final, na medida em que se tratam de “mercados já tão maduros como o português, embora ainda com muito potencial para desenvolver”, acrescenta Manuel Pinheiro.

A primeira ação externa do Vinho Verde Wine Fest decorre a 26 e 27 de maio no Iate Clube, no Rio de Janeiro, onde 20 produtores e o Chef Renato Cunha, do restaurante Ferrugem, darão a conhecer cerca de uma centena de vinhos e muitas harmonizações para experimentar. Os bilhetes têm um custo de 70 reais e dão acesso à prova de mais de 100 vinhos, bem como a assistir às várias masterclasses e a showcookings diversos. Tudo em ambiente de festa ao som de um DJ.

Adega de Monção, Quinta de Linhares, Aveleda, Quinta da Lixa ou Soalheiro são alguns dos produtores presentes.

Dos 59,8 milhões de euros exportados pelo Vinho Verde em 2016, o Brasil foi responsável por quase 3,1 milhões. Um mercado para o qual em pouco mais de uma década, entre 2004 e 2015, as exportações de Vinho Verde cresceram na ordem dos 300%: este é o quarto maior destino de exportação, em volume, e o quinto, em valor.

Já em Nova Iorque, a ação decorre, apenas, durante um dia, a 17 de junho, no Weylin, em Brooklyn, a antiga sede do Williamsburg Savings Bank, um imponente edifício transformado em local de eventos. São também 20 os produtores representados – além dos já referidos no Brasil, que repetem a presença em Nova Iorque, destaque, ainda, para Casal de Ventozela, Quinta da Raza, Sogrape, Vinhos Norte e Vercoope, entre outros nomes – sendo que os bilhetes de acesso ao evento, que inclui degustações, harmonizações vários, ações de showcooking e masterclasses, custam 45 dólares.

Embora sejam o segundo principal mercado externo do Vinho Verde em volume, os Estados Unidos são aquele melhor valoriza os vinhos. Entre 1996 e 2016, as exportações de Vinho Verde passaram de 1,7 milhões para 13,7 milhões, um aumento de oito vezes.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(REUTERS/Kevin Coombs)

Brexit. Europa avalia nova data para o divórcio: 31 de janeiro de 2020

(REUTERS/Kevin Coombs)

Brexit. Europa avalia nova data para o divórcio: 31 de janeiro de 2020

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República portuguesa. Foto: REUTERS/Benoit Tessier

Marcelo pede mais crescimento. “Este que temos não chega”

Outros conteúdos GMG
Vinho Verde Wine Fest chega ao Brasil e aos Estados Unidos