Mercados

Vista Alegre cancela aumento de capital

Vista Alegre

"Conjuntura adversa nos mercados internacionais" justifica fim da operação da marca de cristal e de porcelana de Ílhavo,

A Vista Alegre cancelou a operação de aumento de capital iniciada no final de novembro. A marca de cristal e de porcelana pretendia arrecadar mais de 17 milhões de euros com a venda de novas ações mas tal não foi possível devido à “conjuntura adversa nos mercados internacionais”, segundo a informação comunicada esta terça-feira junto da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“A VAA – Vista Alegre Atlantis, SGPS, S.A. informa que, apesar de diversos investidores nacionais e internacionais terem participado no roadshow recentemente realizado, em resultado da conjuntura adversa nos mercados internacionais que se tem verificado, a oferta institucional de distribuição de ações da Sociedade não se concretizará”, explica a empresa de Ílhavo.

O aumento de capital estava a decorrer de duas formas: através da venda, pela Visabeira Indústria, de 8.709.094 ações da VAA já existentes, e que representavam de 5% do capital social; mais a venda, em mercado, de 21.772.735 novas ações, que corresponderiam a 12,5% do capital social da marca de cristal (após o fecho do aumento de capital).

Esta operação servia para aumentar a percentagem de capital disperso em bolsa de 2,5% para 25%. O grupo Visabeira, que controla a Vista Alegre, reduziria a sua participação de 94,14% para 70%.

Leia mais: Vista Alegre regressa à iluminação e abre lojas Bordallo em Paris e Madrid

A oferta da dona da Bordallo Pinheiro estava sujeita a várias condições. Nomeadamente, “à existência de uma procura para a totalidade das ações objeto da Oferta Global, isto é, de pelo menos 30.481.829 ações (correspondente a 17,5% do capital social pós aumento), das quais pelo menos 11.337.279 ações deverão resultar de procura verificada no âmbito da oferta institucional, independentemente do exercício ou não pelo Oferente da faculdade de aumento do número de ações objeto da oferta institucional.”

A Vista Alegre, com esta operação, pretendia “potenciar o alargamento e a diversificação da estrutura acionista, ampliando a base de investidores junto do público em geral e investidores qualificados nos mercados nacional e internacional”. A empresa esperava ainda “uma otimização das fontes de financiamento para implementação do seu plano estratégico de crescimento da capacidade produtiva e expansão internacional.”

(Notícia atualizada às 8h13 com mais informação)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Carlos Costa, Governador do Banco de Portugal

BES: Processos contra Banco de Portugal caem para metade

O primeiro-ministro, António Costa, gesticula durante o debate quinzenal na Assembleia da República, em Lisboa, 19 de março de 2019. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

António Costa: “Portugal vai continuar a crescer acima da média europeia”

Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/ LUSA

Rendas na energia: João Matos Fernandes encontrou “ambiente crispado”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Vista Alegre cancela aumento de capital