Vista Alegre com contratos de mais de 20 milhões. Layoff prolongado para parte dos trabalhadores

Nos primeiros dois meses do ano, o grupo atingiu um volume de negócios acumulado de 12,1 milhões de euros, uma descida de 34% face a igual período do ano passado

A Vista Alegre tem assegurados contratos de mais de 20 milhões para este ano, tendo a Europa como principal destino destes fornecimentos. Nos primeiros dois meses do ano, o grupo atingiu um volume de negócios acumulado de 12,1 milhões de euros, uma descida de 34% face a igual período do ano passado. Layoff foi prolongado em março para parte dos trabalhadores da Vista Alegre e Bordallo Pinheiro. A fábrica de Ria Stone está a laborar em pleno desde o início de março.

"A Vista Alegre já tem assegurados novos contratos de fornecimento totalizando mais de 20 milhões de euros para o segundo, terceiro e quarto trimestre de 2021. A Europa é o destino principal destes fornecimentos, para França, Alemanha e Países Escandinavos, mas a destacar ainda que uma parte significativa (25%) se destina ao continente Asiático", informa o grupo em comunicado.

Os contratos juntam-se à carteira de cerca de 25 milhões de euros, no canal private label, para este período, elevando para 45 milhões os fornecimentos em carteira.

No acumulado os primeiros dois meses do ano, o grupo atingiu um volume de negócios de 12,1 milhões (-34%), tendo em fevereiro gerado um volume de negócios de 6,5 milhões, menos 32,8% e 3,2 milhões, do que em fevereiro do ano passado. Ainda assim "uma ligeira melhoria nas vendas, face ao mês anterior", destaca o grupo. Em janeiro, o grupo obteve um volume de negócios de 5,6 milhões de euros, um recuo de 36,3% face a período homólogo do ano passado.

"As vendas através do canal online continuaram a evidenciar no mês de fevereiro um excelente desempenho, compensando parcialmente a quebra no canal de retalho, pelo facto da rede de lojas em Portugal continuar encerrada em resultado da suspensão das atividades de comércio a retalho e do encerramento dos estabelecimentos", diz o grupo.

"O encerramento da generalidade das unidades de hotelaria e restauração continua a ter impacto negativo nas vendas no canal Horeca."

Layoff abrange ainda parte dos trabalhadores

Na unidade industrial do Satão da Cerutil - Cerâmicas Utilitárias, S.A., no segmento grés forno, as medidas de controlo do nível de contágios "continuam a determinar a redução temporária do período normal de trabalho semanal (PNT) de 40% em relação a 98,15% dos seus colaboradores (...) durante o mês de março, findo o qual serão novamente reavaliadas as regras de funcionamento desta unidade produtiva", informa o grupo Vista Alegre.

Mantendo-se o fecho da rede de retalho, ditada pelo Estado de Emergência, e a "incerteza quanto ao plano de reabertura da atividade comercial" levou a Vista Alegre Atlantis (porcelana e cristal) e a Bordalo Pinheiro (faiança) a "prorrogar as medidas de "lay-off" simplificado" e de redução temporária do período normal de trabalho semanal comunicada no passado dia 05 de fevereiro. No mês de março, medida abrange cerca de 10,81% dos trabalhadores da Vista Alegre Atlantis e 1,64% dos trabalhadores da Bordalo Pinheiro (todos trabalhadores afetos à rede comercial).

Os demais trabalhadores destas subsidiárias estão a "prestar trabalho a tempo inteiro ou com redução temporária do PNT". Ou seja, 16,45% dos trabalhadores da Vista Alegre e 1,97% dos trabalhadores da Bordalo Pinheiro estão com redução do horário.

"A unidade produtiva da Ria Stone, Fábrica de Louça de Mesa em Grés, S.A., em Ílhavo, no segmento grés mesa, retomou em pleno o seu regime de laboração desde o dia 1 de março".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de