Indústria

Vista Alegre decide aumento de capital até 17,4 milhões

O grupo Visabeira quer diminuir a sua participação na Vista Alegre para 70%. Fotografia: D.R.
O grupo Visabeira quer diminuir a sua participação na Vista Alegre para 70%. Fotografia: D.R.

O grupo Visabeira, que detém a maioria do capital da Vista Alegre, pretende aumentar o free float da empresa de porcelanas

Os acionistas da Vista Alegre vão reunir, em assembleia-geral extraordinária, para deliberar sobre um aumento de capital até 17,4 milhões de euros.

A reunião de hoje tem três pontos na ordem de trabalhos, sendo que o principal é “deliberar sobre a autorização a conferir ao conselho de administração para aumentar o capital social” da Vista Alegre Atlantis (VAA), “num montante global de 17.418.188,00 euros”, de acordo com a marca de cristal e porcelana.

Esta operação será efetuada “no âmbito de oferta pública e/ou institucional de subscrição de ações ordinárias com vista ao incremento da dispersão do capital da sociedade e à otimização de fontes de financiamento da estratégia da VAA e, consequentemente, sobre alteração dos estatutos da sociedade, adiantando o número dois ao seu artigo 5.º”, lê-se no comunicado da convocatória.

“No contexto da reorganização do grupo Vista Alegre que tem vindo a ser levada a cabo, o conselho de administração tem vindo a ponderar o interesse da VAA em alargar a sua base de acionistas e incrementar a respetiva dispersão de capital em bolsa, assim como as alternativas mais vantajosas de financiamento da estratégia da sociedade”, adiantou o grupo, numa exposição sobre as propostas que serão votadas na assembleia-geral de hoje.

Em cima da mesa está a “subscrição de até 21.772.735 de ações ordinárias, com o valor nominal de 0,80 euros cada, que representarão até 12,5% do capital social da VAA, num montante global máximo de aumento de 17.418.188,00 euros”, explica o grupo.

Se o primeiro ponto for aprovado, os acionistas terão de aprovar a supressão do “direito de preferência dos acionistas na subscrição do aumento de capital que venha a ser deliberado pelo Conselho de Administração até 31 de maio de 2019”.

Também ainda hoje será eleito um vogal do Conselho de Administração “para o mandato em curso, passando este órgão a ser composto por 11 membros”, adiantou a VAA. O novo elemento, Teodorico Figueiredo Pais, foi proposto pelo acionista Visabeira, que detém a Vista Alegre.

No início deste mês, a Visabeira anunciou que pretende aumentar o capital da VAA através da emissão de 21,77 milhões de novas ações, de forma a reforçar o capital disperso em bolsa (‘free float’) para os 25%.

O grupo Visabeira verá, com esta operação, a sua participação diminuir para 70% (dos atuais 94,14%), mas conforme explicou em comunicado ao mercado, beneficiará deste reforço de dispersão, com o alargamento da sua base acionista e, consequentemente, de uma maior liquidez das ações da Vista Alegre, “reforçando a sua atratividade perante potenciais investidores”.

O ‘free float’ da Vista Alegre ronda, atualmente, os 2,5% de acordo com a informação disponível no ‘site’ da empresa.

O CaixaBI e o Millennium Investment Banking serão os parceiros financeiros na operação.

De acordo com as contas divulgadas pela empresa no final de agosto, o lucro da Vista Alegre subiu 41% no primeiro semestre, face a igual período de 2017, para 1,9 milhões de euros.

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) cresceu 11% para sete milhões de euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Centeno com Pierre Moscovici, comissário europeu da Economia. Fotografia: REUTERS/François Lenoir

Centeno responde a Bruxelas e não muda uma vírgula ao orçamento

iefp

Número de desempregados inscritos nos centros de emprego desceu 17%

(Fábio Poço/Global Imagens)

Hipotecas: Decisão espanhola podia aplicar-se em Portugal? DECO diz que não

Outros conteúdos GMG
Vista Alegre decide aumento de capital até 17,4 milhões