Indústria

Vista Alegre elege França, Itália, México e Índia como prioridades

vistaalegre3

Exportações pesam 64% do volume de negócios. 2017 é o ano da consolidação

A Vista Alegre Atlantis elegeu quatro mercados prioritários nos planos de internacionalização para o próximo ano. A empresa, detida pela Visabeira e dona de marcas como a Vista Alegre e a Bordallo Pinheiro, vai apostar em França, Itália, México e Índia com as duas marcas, diz ao DN/Dinheiro Vivo Nuno Barra, administrador da empresa.

“Pretendemos reforçarmo-nos muito nos mercados externos. Para a Vista Alegre, os mercados prioritários são França, Itália e México e também a Índia, onde vamos abrir neste ano”, diz o responsável. No caso da Bordallo Pinheiro, o processo é mais lento, a internacionalização só começou há três anos com marca própria, quando a Bordallo Pinheiro começou a estar como marca nas feiras. “A Bordallo precisa de crescer um bocadinho mais”, admite.

O responsável explica que cada um dos mercados foi escolhido por razões diferentes: “Em Itália por causa dos parceiros que temos. Em França já começámos a ter uma rede de distribuição que permite pensar noutras coisas. E no México temos vindo a apostar, mas chegou a altura de reforçar.”
O crescimento também acontece a ritmos diferentes, mas “2017 vai ser o ano da concretização. Na Itália e na França vão crescer as duas marcas, mas no México será mais a Vista Alegre”, admite.

O grupo, que divulgou resultados na passada semana, voltou a registar lucros depois de cinco anos de prejuízos. O resultado líquido foi de 1,6 milhões de euros e o volume de negócios subiu 5%, para 75,4 milhões de euros, fruto do crescimento das exportações, com um peso de 64% no volume de negócios.
Segundo Nuno Barra, a exportação, já tem um peso de cerca de 70% na faturação da Vista Alegre e de 49% na Bordallo Pinheiro. “No geral crescemos à volta de dois dígitos nos últimos anos. A Bordallo em 2009 faturava 2,7 milhões de euros e neste ano fechou com 5,4 milhões de euros. E a Vista Alegre faturou 72 milhões em 2016”, acrescenta.

Os principais mercados para a empresa são, para a Vista Alegre, a Espanha, e para a Bordallo Pinheiro, Itália, Coreia do Sul, Alemanha e EUA. Apesar do peso deste mercado, Nuno Barra está tranquilo com eventuais impactos da política protecionista do presidente Donald Trump. “Ninguém sabe o que vai acontecer”, refere.

Questionado sobre o impacto das vendas online no negócio, Nuno Barra sublinha a importância deste comércio, que já levou a empresa a ter “cinco lojas online abertas na Vista Alegre: uma loja para Portugal, uma para Espanha, uma para o Brasil, uma para o resto do mundo e uma para a Europa”. A Bordallo também tem uma loja online para estes mercados exceto para o Brasil. “Todos os anos tem registado um crescimento importante e é um canal de distribuição a apostar. No ano passado o online cresceu 37%”, acrescenta.

*Em Frankfurt. A jornalista viajou a convite da Vista Alegre

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
exportacoes

Défice externo dispara no primeiro semestre

Empresas obrigadas a identificar detentores singulares de participações

telemóvel-800x450

Débitos diretos: Saiba como proteger-se de movimentos indevidos

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Vista Alegre elege França, Itália, México e Índia como prioridades