Indústria

Vista Alegre elege França, Itália, México e Índia como prioridades

vistaalegre3

Exportações pesam 64% do volume de negócios. 2017 é o ano da consolidação

A Vista Alegre Atlantis elegeu quatro mercados prioritários nos planos de internacionalização para o próximo ano. A empresa, detida pela Visabeira e dona de marcas como a Vista Alegre e a Bordallo Pinheiro, vai apostar em França, Itália, México e Índia com as duas marcas, diz ao DN/Dinheiro Vivo Nuno Barra, administrador da empresa.

“Pretendemos reforçarmo-nos muito nos mercados externos. Para a Vista Alegre, os mercados prioritários são França, Itália e México e também a Índia, onde vamos abrir neste ano”, diz o responsável. No caso da Bordallo Pinheiro, o processo é mais lento, a internacionalização só começou há três anos com marca própria, quando a Bordallo Pinheiro começou a estar como marca nas feiras. “A Bordallo precisa de crescer um bocadinho mais”, admite.

O responsável explica que cada um dos mercados foi escolhido por razões diferentes: “Em Itália por causa dos parceiros que temos. Em França já começámos a ter uma rede de distribuição que permite pensar noutras coisas. E no México temos vindo a apostar, mas chegou a altura de reforçar.”
O crescimento também acontece a ritmos diferentes, mas “2017 vai ser o ano da concretização. Na Itália e na França vão crescer as duas marcas, mas no México será mais a Vista Alegre”, admite.

O grupo, que divulgou resultados na passada semana, voltou a registar lucros depois de cinco anos de prejuízos. O resultado líquido foi de 1,6 milhões de euros e o volume de negócios subiu 5%, para 75,4 milhões de euros, fruto do crescimento das exportações, com um peso de 64% no volume de negócios.
Segundo Nuno Barra, a exportação, já tem um peso de cerca de 70% na faturação da Vista Alegre e de 49% na Bordallo Pinheiro. “No geral crescemos à volta de dois dígitos nos últimos anos. A Bordallo em 2009 faturava 2,7 milhões de euros e neste ano fechou com 5,4 milhões de euros. E a Vista Alegre faturou 72 milhões em 2016”, acrescenta.

Os principais mercados para a empresa são, para a Vista Alegre, a Espanha, e para a Bordallo Pinheiro, Itália, Coreia do Sul, Alemanha e EUA. Apesar do peso deste mercado, Nuno Barra está tranquilo com eventuais impactos da política protecionista do presidente Donald Trump. “Ninguém sabe o que vai acontecer”, refere.

Questionado sobre o impacto das vendas online no negócio, Nuno Barra sublinha a importância deste comércio, que já levou a empresa a ter “cinco lojas online abertas na Vista Alegre: uma loja para Portugal, uma para Espanha, uma para o Brasil, uma para o resto do mundo e uma para a Europa”. A Bordallo também tem uma loja online para estes mercados exceto para o Brasil. “Todos os anos tem registado um crescimento importante e é um canal de distribuição a apostar. No ano passado o online cresceu 37%”, acrescenta.

*Em Frankfurt. A jornalista viajou a convite da Vista Alegre

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa. (Fotografia: Mário Cruz/ Lusa)

Carlos Costa: “Não participei nos 25 grandes créditos que geraram perdas” à CGD

Pedro Granadeiro / Global Imagens

Reclamações. Anacom acusa CTT de divulgar informação enganosa

Paulo Macedo, presidente da CGD

CGD cumpre “com margem significativa” requisitos de capital do BCE

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Vista Alegre elege França, Itália, México e Índia como prioridades