Vivendi ganha força na Telecom Italia. Fusão com a Oi mais perto

Vicent Bolloré, da Vivendi, é defensor da consolidação no sector das telecomunicações. Ganho de posição do grupo francês na Telecom Itália poderá facilitar fusão entre Oi e a sua controlada, a TIM Brasil.

Foi uma vitória em duas frentes. Depois de ter chamado à Telecom Itália "um navio sem leme", o grupo francês Vivendi viu aprovada a sua proposta de nomear mais quatro administradores, tendo ainda bloqueado uma proposta de conversão de ações que iria diluir os 20,01% que detém na operadora.

No Brasil, a vitória do grupo de Vicent Bolloré é vista com bons olhos, já que o empresário é um dos defensores da consolidação neste mercado, para a obtenção de maior  liquidez para a companhia. A fusão entre a TIM Brasil, controlada da Telecom Itália, e a Oi, onde a Pharol tem 27,5%, é o cenário em cima da mesa.

Fontes próximas da Oi, ouvidas pelo Dinheiro Vivo, admitem que este ganho de posição do grupo francês no conselho de administração da operadora italiana é positivo, abrindo caminho para que a empresa possa avançar, juntamente com o fundo LetterOne, com uma proposta de fusão com a TIM.

Apesar da oposição de vários fundos de investimento com posições relevantes na Telecom Itália, em conjunto controlam 65% da empresa, a Vivendi conseguiu ver aprovada a sua proposta de obter quatro lugares na administração ao aumentar de 13 para 17 o número de membros do conselho. Os novos administradores nomeados deverão assumir funções já na próxima reunião do conselho de administração, prevista para quarta-feira.

Na assembleia geral de esta terça-feira 15, a abstenção do grupo durante a votação da proposta de conversão de 6 mil milhões de ações preferenciais em ordinárias foi o suficiente para a  mesma não ser aprovada, já que tinha de obter uma maioria de dois terços.

A proposta dava maior liquidez à Telecom Itália, mas tinha como efeito a diluição da posição da Vivendi para 14%. Desde que ganhou, através do negócio feito no Brasil com a Telefónica com a venda da GTV, uma posição de 8,24% na Telecom Itália, a Vivendi investiu mais de 3 mil milhões de euros para reforçar a sua participação na operadora.

A proposta levaria igualmente à diluição da posição de 15,1% de Xavier Niel na empresa. O milionário francês já disse que ter uma palavra a dizer no futuro da Telecom Itália.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de