Telecomunicações

Vodafone com receitas totais de 261 milhões no 3º trimestre

Mário Vaz, CEO da Vodafone Portugal
Mário Vaz, CEO da Vodafone Portugal

Desempenho da operadora liderada por Mário Vaz reflete estabilização do serviço móvel e crescimento do negócio na rede fixa

A Vodafone Portugal registou receitas totais de 261 milhões de euros no terceiro trimestre fiscal de 2018-2019, valor que representa uma subida de 3% em relação a outubro/dezembro de 2017.

As receitas de serviços subiram 2,9%, para 242 milhões de euros, um desempenho que reflete, sobretudo, a “estabilização do segmento móvel e o crescimento sustentado do negócio fixo, particularmente em Pay TV”, destaca a operadora liderada por Mário Vaz em comunicado.

Apesar da subida na comparação homóloga, em relação ao 2º trimestre fiscal os proveitos da companhia recuam tanto nas receitas totais como nas de serviço. No trimestre anterior fiscal, a empresa registava 266 milhões de euros de receitas totais e 251 milhões nas de serviços.

De outubro a dezembro a base de clientes de rede fixa aumentou 9,2%, para 704 mil clientes, com os clientes de rede banda larga a subir 10,3%, para 657 mil em relação ao período homólogo, mantendo uma trajetória de subida face ao trimestre anterior.

Já no móvel, o 3º trimestre fecha com 4,691 milhões de clientes, mais 1,3% do que em relação ao trimestre fiscal homólogo, esse valor representa uma perda de cerca de 37 mil clientes móveis face ao trimestre anterior, altura em que a companhia registava 4,728 milhões de clientes.

No móvel, a empresa destaca o crescimento de 20,8% do número de clientes 4G no período em análise.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O presidente do Novo Banco, António Ramalho, discursa na cerimónia de lançamento do Projeto de Divulgação Cultural do Novo Banco. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Banca custou ao Estado mais 1,5 mil milhões de euros em 2019, agora ajude

coronavirus portugal antonio costa

Proibidos ajuntamentos com mais de cinco pessoas. Aeroportos encerrados

O primeiro-ministro, António Costa, fala aos jornalistas no final da reunião do Conselho de Ministros após a Assembleia da República ter aprovado o decreto do Presidente da República que prolonga o estado de emergência até ao final do dia 17 de abril para combater a pandemia da covid-19, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 2 de abril de 2020. 
 MÁRIO CRUZ/POOL/LUSA

Mapa de férias pode ser aprovado e afixado mais tarde do que o habitual

Vodafone com receitas totais de 261 milhões no 3º trimestre