DieselGate

Ex-CEO da Volkswagen acusado na Alemanha pelo escândalo dieselgate

Ex-CEO da Volkswagen Martin Winterkorn. Fotografia: REUTERS/Fabrizio Bensch
Ex-CEO da Volkswagen Martin Winterkorn. Fotografia: REUTERS/Fabrizio Bensch

O ex-CEO da Volkswagen, Martin Winterkorn, foi acusado em conjunto com outros quatro gestores na Alemanha pelo seu papel no dieselgate.

Winterkorn e os outros suspeitos são acusados ​​de fraude agravada pelos procuradores de Braunschweig, que alegam que o ex-responsável da Volkswagen sabia desde 2014 acerca do uso ilegal de software para ludibriar os testes de emissões. Os procuradores fizeram a revelação esta segunda-feira numa declaração feita por e-mail, indica a Bloomberg.

Martin Winterkorn

Martin Winterkorn

Estas são as primeiras acusações criminais na Alemanha sobre o tema, já que o ex-CEO de 71 anos foi acusado pelas autoridades norte-americanas já em 2017. As alegações de que a VW reteve indevidamente informações relacionadas com o software de emissões usado nos seus carros a diesel pairam sobre a empresa desde que rebentou o escândalo, em 2015. O problema envolveu 11 milhões de carros a diesel em todo o mundo e custou à empresa com sede em Wolfsburg cerca de 28 mil milhões de euros até o momento.

O advogado de Winterkorn, Felix Doerr, indicou à Bloomberg que não pode comentar nesta altura a acusação, enquanto os outros quatro suspeitos não foram identificados.

Os procuradores alegam que Winterkorn aprovou uma atualização “inútil” do software de computador dos veículos em novembro de 2014 para ajudar a ocultar o golpe.

As ações da VW subiram 75 cêntimos, ou 0,5%, para 157,25 euros, ao início da tarde. Na Alemanha já subiram este ano e até agora 18 por cento.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
boris johnson brexit

Brexit: Um acordo que responde “às circunstâncias únicas da Irlanda”

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Outros conteúdos GMG
Ex-CEO da Volkswagen acusado na Alemanha pelo escândalo dieselgate