DieselGate

Ex-CEO da Volkswagen acusado na Alemanha pelo escândalo dieselgate

Ex-CEO da Volkswagen Martin Winterkorn. Fotografia: REUTERS/Fabrizio Bensch
Ex-CEO da Volkswagen Martin Winterkorn. Fotografia: REUTERS/Fabrizio Bensch

O ex-CEO da Volkswagen, Martin Winterkorn, foi acusado em conjunto com outros quatro gestores na Alemanha pelo seu papel no dieselgate.

Winterkorn e os outros suspeitos são acusados ​​de fraude agravada pelos procuradores de Braunschweig, que alegam que o ex-responsável da Volkswagen sabia desde 2014 acerca do uso ilegal de software para ludibriar os testes de emissões. Os procuradores fizeram a revelação esta segunda-feira numa declaração feita por e-mail, indica a Bloomberg.

Martin Winterkorn

Martin Winterkorn

Estas são as primeiras acusações criminais na Alemanha sobre o tema, já que o ex-CEO de 71 anos foi acusado pelas autoridades norte-americanas já em 2017. As alegações de que a VW reteve indevidamente informações relacionadas com o software de emissões usado nos seus carros a diesel pairam sobre a empresa desde que rebentou o escândalo, em 2015. O problema envolveu 11 milhões de carros a diesel em todo o mundo e custou à empresa com sede em Wolfsburg cerca de 28 mil milhões de euros até o momento.

O advogado de Winterkorn, Felix Doerr, indicou à Bloomberg que não pode comentar nesta altura a acusação, enquanto os outros quatro suspeitos não foram identificados.

Os procuradores alegam que Winterkorn aprovou uma atualização “inútil” do software de computador dos veículos em novembro de 2014 para ajudar a ocultar o golpe.

As ações da VW subiram 75 cêntimos, ou 0,5%, para 157,25 euros, ao início da tarde. Na Alemanha já subiram este ano e até agora 18 por cento.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
REUTERS/Pedro Nunes/File Photo

Programa de arrendamento acessível arranca a 1 de julho. Tudo o que deve saber

Fotografia: Pedro Rocha/Global Imagens

Governo questiona RTP sobre não transmissão de Jogos de Minsk

DHL Express Store2

DHL Express vai investir até 600 mil euros em rede de lojas pelo país

Outros conteúdos GMG
Ex-CEO da Volkswagen acusado na Alemanha pelo escândalo dieselgate