mobilidade

Volkswagen quer investir 60 mil milhões de euros na mobilidade elétrica

Sede da Volkswagen em Wolfsburg, Alemanha. REUTERS/Fabian Bimmer
Sede da Volkswagen em Wolfsburg, Alemanha. REUTERS/Fabian Bimmer

A fabricante alemã anunciou esta semana que pretende investir 60 mil milhões de euros, até 2024, para desenvolver soluções de mobilidade elétrica.

A Volkswagen, que tem sob a sua alçada várias marcas automóveis, anunciou um investimento multimilionário para aquilo que acredita ser “o futuro” da mobilidade. Até 2024, a empresa quer investir 60 mil milhões de euros para o desenvolvimento de novas soluções, que possam assegurar a transição para o patamar elétrico.

Deste valor, mais de metade do investimento será dedicado à mobilidade elétrica (33 mil milhões de euros) e os restantes 27 mil milhões de euros vão ser canalizados para o desenvolvimento de soluções híbridas e digitalização, indica a empresa, em comunicado.

“Este valor representa mais de 40% dos investimentos da empresa em ativos e todos os custos de pesquisa e desenvolvimento estão incluídos para este período”, é possível ler no comunicado do grupo, onde é ainda indicado que se trata de um aumento de 16 mil milhões de euros, em relação ao plano anterior.

Além do orçamento para os próximos cinco anos, a Volkswagen indica ainda que está disposta a lançar 75 modelos elétricos e 60 veículos híbridos, até 2029. No comunicado, a empresa indica que o número projetado de veículos elétricos também aumentou, passando para os 26 milhões de veículos.

Relativamente às localizações de produção destes novos veículos, o plano da Volkswagen indica que os veículos elétricos serão fabricados entre a República Checa, Estados Unidos e China, nas localizações de Mlada Boleslav, Chattanooga, Foshan e Anting. Os restantes veículos têm produção indicada dentro da Alemanha, nas “fábricas de Zwickau, Emden, Hannover, Zuffenhausen e Dresden”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Lisboa-19/12/2019  - Conferencia de Antonio Mexia ,CEO da EDP. 
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Chinesa CTG vende 1,8% da EDP

(A-gosto.com/Global Imagens).

PSD indisponível para viabilizar alteração à lei para aeroporto do Montijo

O ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Novo Banco: Estado como acionista só dilui posição do Fundo de Resolução

Volkswagen quer investir 60 mil milhões de euros na mobilidade elétrica