Volkswagen terá seis fábricas de baterias até 2030. Portugal pode entrar na lista

Grupo automóvel alemão vai reforçar aposta na eletrificação da frota e aposta em baterias com custos mais baixos e maior eficiência.

Portugal poderá receber uma fábrica de baterias do grupo Volkswagen. O grupo automóvel alemão anunciou esta segunda-feira que vai construir seis unidades de produção de baterias na Europa até 2030. Reforçar a quota de mercado dos modelos sem emissões é o principal objetivo desta estratégia.

Uma das seis fábricas de baterias do grupo Volkswagen ficará localizada na Europa Ocidental. Portugal, Espanha e França estão a lutar por uma vaga para ficar com esta unidade de produção, que deverá ficar operacional a partir de 2026.

Cada fábrica de baterias terá uma capacidade de produção de 40 gigawatt por hora, segundo anunciou o presidente executivo da Volkswagen, Herbert Diess, numa apresentação virtual. No total, as seis fábricas poderão produzir cerca de 240 gigawatt/hora por ano.

Antes disso, o grupo Volkswagen vai ter outras duas fábricas de baterias em operação: a primeira estará localizada na Suécia e será posta a funcionar em 2023; a segunda ficará na Alemanha e poderá começar a produzir baterias a partir de 2025.

Desde 2019, Portugal tem contribuído para a produção de veículos elétricos do grupo Volkswagen. A unidade de prensas da Autoeuropa fabricada para-lamas, capots e tampas da torre do amortecedor dos primeiros automóveis elétricos de grande produção do grupo Volkswagen.

A nível de modelos, a Autoeuropa faz a montagem dos veículos da Volkswagen T-Roc e Sharan com modelos a gasolina e elétricos.

A versão preliminar do Plano de Recuperação e Resiliência propõe um projeto estratégico ibérico para a fileira integrada de lítio e de fabrico de baterias. Além da proximidade à fronteira das principais jazidas de lítio, a proposta salienta que "o INL - Instituto Ibérico de Nanotecnologia está a desenvolver projetos de criação de células de última geração que poderão em breve entrar em fase de testes".

Portugal também poderá ter uma palavra a dizer na reciclagem das baterias, refere o documento que esteve em consulta pública até 1 de março.

Ao Dinheiro Vivo, fonte oficial do Ministério do Ambiente e da Ação Climática congratula-se com o facto de existirem grupos económicos interessados nesta atividade económica em território nacional, já que é política deste Governo o desenvolvimento da fileira das baterias em Portugal e da cadeia de valor do lítio."

O próprio grupo Volkswagen tem uma estratégia para promover a reciclagem de baterias, minorando os impactos ambientais deste componente após o seu período de utilização nos automóveis elétricos.

A nova geração de baterias do grupo Volkswagen terá um sistema de célula única e será lançada em 2023. Com recurso a materiais como o níquel e a grafite, esta bateria terá metade dos custos de uma bateria produzida atualmente e terá maior eficiência energética.

Graças a essa eficiência, esta bateria, depois de 2025, poderá atingir os 450 quilómetros de autonomia em 12 minutos, em vez dos atuais 25.

Ainda no campo das baterias, o grupo Volkswagen anunciou o investimento de 400 milhões de euros para aumentar, em cinco vezes, o número de estações de carregamento para carros elétricos. O objetivo de 18 mil postos de carga será conseguido graças a parceria com a Iberdrola, Enel e BP, além do consórcio Ionity.

(Notícia atualizada às 16h31 com reação do Ministério do Ambiente e da Ação Climática)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de