Automóvel

VW: Incentivos para troca de carros Diesel “dependem das importadoras”

Fotografia: REUTERS/Dado Ruvic
Fotografia: REUTERS/Dado Ruvic

No caso de Portugal, a SIVA ainda está a avaliar se vai existir incentivos para a troca de veículos antigos a gasóleo por novos

A aplicação de incentivos para a troca de carros Diesel antigos por outros mais modernos e com menos emissões depende da importadora da Volkswagen de cada país e não da empresa. As palavras são do próprio presidente executivo da marca, Herbert Diess, e foram proferidas esta quarta-feira num encontro com jornalistas portugueses realizado em Frankfurt. Em Portugal, a atribuição destes incentivos depende da SIVA, a importadora dos carros das marcas Volkswagen, Audi e Skoda.

“Os incentivos para a troca de carros a Diesel dependem das importadoras e terão de ser pagos por elas próprias”, afirmou Diess num evento à margem do salão automóvel de Frankfurt. Em agosto, a Volkswagen anunciou a implementação de um programa de incentivos para a troca de carros a gasóleo das normas Euro 1 a Euro 4 na Alemanha na compra de um veículo novo, com a norma Euro 6. Na altura, foi admitido que o programa pudesse ser estendido ao mercado português.

Questionada pelo Dinheiro Vivo depois destas declarações, a SIVA recordou que está a avaliar a implementação deste programa para o mercado português: “É um assunto sobre o qual vamos mantendo vigilância mas não está decidido”, responde fonte oficial da importadora. No caso das reparações dos carros afetados pela fraude dos motores a gasóleo em Portugal, a reparação tem sido financiada pelo grupo alemão e não pela importadora.

Na Alemanha, conforme os modelos, os incentivos para a troca de veículos variam entre 2 mil e 10 mil euros. Este programa foi anunciado depois da cimeira entre as autoridades alemãs e os principais grupos automóveis para discutir medidas de salvamento do motor a gasóleo, que tem perdido quota de mercado sobretudo depois da deteção da fraude de 11 milhões de automóveis a gasóleo, em setembro de 2015.

Neste sentido, o grupo Volkswagen anunciou no início da semana um investimento total de 70 mil milhões de euros na eletrificação da gama, entre plataformas e mega fábricas de baterias. Cada um dos modelos das 12 marcas de automóveis deste gigante alemão vão ter uma versão elétrica até 2030.

Dez anos antes, em 2020, a marca Volkswagen vai começar a produzir os primeiros carros 100% elétricos. “É o tempo ideal, porque os carros a diesel vão ficar mais caros e as baterias dos elétricos ficarão mais baratas. A infraestrutura irá melhorar até lá, sobretudo com postos de carregamento”, justifica Diess, em relação ao calendário escolhido pela empresa.

Em Frankfurt, a Volkswagen apresentou três protótipos de carros 100% elétricos: um compacto, do tamanho do Golf (I.D.), outro do tamanho do SUV Tiguan (I.D. Crozz) e uma carrinha do tamanho da Multivan (I.D. Buzz). “Recebemos reações muito positivas a estes modelos”, segundo o líder da marca Volkswagen.

*Jornalista viajou a convite da Volkswagen Autoeuropa

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Orlando Almeida/Global Imagens

Turismo vale 16% da atividade económica portuguesa

Mário Centeno, ministro das Finanças. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Défice público cai 59% até ao final de outubro

Marco Schroeder

Marco Schroeder renuncia a cargo de CEO da Oi

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Conteúdo TUI
VW: Incentivos para troca de carros Diesel “dependem das importadoras”