música

Warner Music compra EMI Portugal

Pablo Alborán é um artista EMI
Pablo Alborán é um artista EMI

A EMI Portugal passou para as mãos da Warner Music, como parte de um negócio de 565 milhões de euros com a Universal Music. A EMI Portugal já tem conhecimento da compra.

O acordo prevê que a Warner Music passe a controlar o Parlaphone Label Group, que detém as editoras Parlophone, Chrysalis e Ensign, e as operações da EMI na Bélgica, República Checa, Dinamarca,
França, Noruega, Espanha, Eslováquia e Suécia, além de Portugal.

A Universal foi obrigada a desfazer-se destas operações segundo os termos acordados com a Comissão Europeia em setembro de 2012, para que fosse autorizada a sua aquisição do grupo EMI.

Ou seja: para poder comprar a EMI ao Citigroup, a Universal teve de concordar em vender parte das suas operações europeias, onde se inclui Portugal.

Trata-se de uma vitória para a Warner Music, como analisa o Wall Street Journal. Havia outras empresas interessadas nas operações, incluindo a BMG Rights Management (uma joint venture entre a Bertelsmann e a Kohlberg Kravis Roberts).

A Warner, terceira maior editora do mundo, tinha tentado comprar a EMI ao Citigroup mas a Universal passou-lhe à frente, oferecendo 1,4 mil milhões de euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Centeno ladeado pelos representantes dos dois maiores credores de Portugal: Pierre Moscovici (Comissão) e Klaus Regling (ESM). Fotografia: EPA/JULIEN WARNAND

Centeno usa verbas da almofada de segurança para pagar aos credores europeus

Paulo Fernandes lidera o grupo Cofina. (Carlos Manuel Martins/Global Imagens)

Foto: Arquivo

Cofina quer TVI sem remédios

Crédito: Windfloat

EDP Renováveis leva tecnologia eólica flutuante para a Ásia e investe na Coreia

Outros conteúdos GMG
Warner Music compra EMI Portugal