Concentração

WPP entra no capital da portuguesa BAR

José Carlos Bomtempo, Diogo Anahory e Miguel Ralha são os três fundadores da agência BAR. Fotografia: BAR
José Carlos Bomtempo, Diogo Anahory e Miguel Ralha são os três fundadores da agência BAR. Fotografia: BAR

BAR é a agência publicitária da Sagres e conta como clientes como Millennium BCP e Nowo

O grupo WPP de Martin Sorrell anunciou a compra de uma participação maioritária na portuguesa BAR, a agência de publicidade da Sagres. A entrada do grupo de comunicação vai dar origem a fusão no mercado português entre a agência e a Ogilvy & Mather, nascendo a uma nova agência: a BAR Ogilvy.

O anúncio hoje feito confirma rumores de uma nova concentração no mercado das agências nacionais que há mais de um ano circulavam no mercado e marca a entrada da agência portuguesa independente BAR num grupo de comunicação internacional.

A agência tinha sido criada em outubro de 2010 por José Carlos Bomtempo, Diogo Anahory e Miguel Ralha, cujas iniciais dos apelidos deram o nome a agência, depois de uma saída em colisão da McCann Ericsson.

Sagres, Millennium BCP, Nowo são alguns dos atuais clientes da agência de publicidade.

Os sócios manter-se-ão na gestão na nova BAR Ogilvy e com uma participação acionista e Tim Solomon, atual chairman da Ogilvy & Mather, como chairman da nova agência durante o período de transição. A integração entre as duas agências já está a decorrer sendo que o objetivo é que esteja concluído ainda em 2018.

“Estamos muito entusiasmados com este desafio. Acreditamos que a forma como trabalhamos combinada com as capacidades de uma das mais icónicas networks do mundo tornará a BAR Ogilvy num projeto relevante e único neste mercado”, afirma Miguel Ralha, um dos fundadores da BAR Ogilvy.

“Com a fusão destas duas marcas vamos combinar a excecional capacidade criativa da BAR com as amplas competências de comunicação da Ogilvy Portugal em Publicidade, Customer Engagement, Digital e Social, Branding e Identidade, e Relações Públicas, e criar um projeto excecional”, afirma Tim Solomon, chairman da nova agência.

(Notícia atualizada às 9h55 com mais informação)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, João Leão (D), durante o debate e votação da proposta do orçamento suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 17 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Orçamento suplementar mantém despesa de 704 milhões de euros para bancos falidos

Jorge Moreira da Silva, ex-ministro do ambiente

(Orlando Almeida / Global Imagens)

Acordo PS-PSD. “Ninguém gosta de um planalto ideológico”

Mario Draghi, presidente do BCE. Fotografia: Reuters

Covid19. “Bazuca financeira tem de fazer mira à economia, desigualdades e clima”

WPP entra no capital da portuguesa BAR