Justiça

Yupido declara 175 funcionários mas zero gastos com pessoal em 2018

(Gustavo Bom / Global Imagens)
(Gustavo Bom / Global Imagens)

A empresa com o maior capital social do país publicou as contas de 2018: nada faturou em vendas e serviços e teve prejuízos de 3879 euros.

A Yupido declarou ter 175 funcionários mas zero gastos com pessoal em 2018. A informação consta do relatório e contas do ano passado publicado esta semana pela empresa com o maior capital social do país. A Yupido apresentou prejuízos de 3879,24 euros no último ano, segundo o mesmo documento.

A empresa portuguesa, alegadamente, contará no seu quadro de pessoal com 133 homens e 42 mulheres, segundo a notícia publicada pelo Expresso Diário e que surge praticamente três semanas depois de o Dinheiro Vivo ter noticiado que o Ministério Público decidiu arquivar o inquérito à Yupido.

Por exemplo, a empresa revela que tem ativos avaliados em 28,77 mil milhões de euros, o equivalente a cerca de 14% do PIB português e o montante pelo qual a empresa avalia a sua própria plataforma tecnológica – sobre a qual continua a não haver qualquer informação.

O relatório e contas mostra, no entanto, que o valor contabilizado, em 2016, como dinheiro em caixa e depósitos bancários, de 243,3 milhões de euros, reduziu-se em 2018 para 1400 euros – este montante passou a ser registado como depósito à ordem. A rubrica de ativos intangíveis cresceu precisamente 243,3 milhões de euros e passou para 28,77 mil milhões – o valor da avaliação.

Como ainda não tem a plataforma a funciona, a atividade operacional da Yupido em 2018 também foi praticamente insignificante: não foi registado qualquer montante em vendas e prestações de serviços; os fornecimentos e serviços externos valeram cerca de 3500 euros.

Apesar de o Ministério Público ter arquivo o inquérito à empresa, a Autoridade Tributária promete continuar atenta à atividade futura da companhia, segundo o Expresso.

A Yupido captou a atenção da imprensa e das autoridades em setembro de 2017, depois de, no Twitter, o economista Carlos Pinto ter revelado que, durante um trabalho, tinha esbarrado acidentalmente no capital social da empresa. O valor de 29 mil milhões de euros ultrapassa a soma do capital social das doze maiores companhias do país e logo levantou dúvidas sobre a legalidade da atuação da Yupido, que não tinha à data – e continua sem ter – qualquer atividade pública ou produto lançado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa, Portugal 2

Endividamento das famílias atinge máximo de três anos

Alexandre Nilo Fonseca, presidente da ACEPI. 
(Sara Matos/ Global Imagens)

Em direto. A transformação digital em debate da ACEPI

(Carlos Santos/Global Imagens)

TDT. Anacom arranca com call center em novembro para teste piloto

Outros conteúdos GMG
Yupido declara 175 funcionários mas zero gastos com pessoal em 2018