Tecnologia

Zomato aposta em menus secretos para liderar subscrições em Portugal

Zomato

Plataforma fez parceria com 26 restaurantes em Lisboa para lançar menus exclusivos na primeira quinzena de abril só para aderentes ao Zomato Gold.

A Zomato vai proporcionar menus secretos em 26 restaurantes de Lisboa entre 1 e 14 de abril. Portugal será o primeiro país em todo o mundo a experimentar o novo conceito da plataforma indiana para encontrar e fazer reservas em bares e restaurantes. A tecnológica liderada em Portugal por Miguel Alves Ribeiro pretende, desta forma, chegar até ao final do ano ao primeiro lugar dos serviços por subscrição em território nacional.

Este evento apenas estará disponível para os 20 000 assinantes do serviço por subscrição Zomato Gold, que está em Portugal desde março de 2017. Cada menu irá custar entre 25 e 40 euros por pessoa e os ‘bilhetes’ apenas poderão ser comprados na aplicação móvel a partir de segunda-feira. As refeições têm de ser pagas antes de os clientes chegarem ao restaurante.

Cada restaurante parceiro irá proporcionar pelo menos duas opções para a refeição. Os menus exclusivos estarão disponíveis à hora do jantar entre segunda e sexta; no fim de semana, esta opção poderá ser requisitada ao almoço e ao jantar.

“Queremos trazer mais visibilidade aos restaurantes que as pessoas ainda não conhecem”, assinalou Miguel Alves Ribeiro, esta quarta-feira, num almoço com jornalistas.

Leia mais: Zomato prepara pagamentos em restaurantes dentro da aplicação

A proposta de menus exclusivos “nasceu há dois meses”, recordou Riddhi Jain, a responsável pelo serviço Zomato Gold no território português. “Sabíamos que era preciso criar algo único para os nossos clientes. Mas tínhamos de ligar o Zomato Gold porque acreditamos muito neste programa. Precisamos de atrair novos clientes e reter os atuais”, acrescentou a mesma responsável.

Os 26 restaurantes aderentes têm várias especialidades, como o El Bulo Social Club, de inspiração argentina, e o Chutnify, de inspiração indiana. A lista de aderentes inclui também, por exemplo, espaços como o The Club Steakhouse, o Terraza Cascais, o Encanto e o Arola.

Negócio em Portugal triplicou

Portugal tem servido como plataforma de testes da Zomato a nível nacional. A partir do escritório em Lisboa, têm sido desenvolvidas várias soluções de pagamento e cada vez mais é feita a gestão e suporte às operações, na Europa, de Itália, Reino Unido, Irlanda, Eslováquia, República Checa e Polónia; na África do Sul; e ainda no Chile e no Brasil.

Sem indicar montantes, Miguel Alves Ribeiro refere que as receitas da empresa com o negócio em Portugal “triplicaram” em 2018. 70% dos rendimentos da Zomato são obtidos através da publicidade paga pelos restaurantes; o Zomato Gold já contribui com os restantes 30% de encaixe financeiro. Este serviço por subscrição está presente no Porto e na região da Grande Lisboa, nas duas margens do rio Tejo.

Leia mais: Zomato: “Portugal foi a plataforma para arrancarmos para outros países”

A tecnológica fundada na Índia conta com 84 pessoas no escritório em Portugal. Para ajudar a reter esta equipa, a Zomato tem apostado numa academia de formação. “Queremos tornar a nossa equipa na melhor do marketing digital a nível nacional”, ambiciona o responsável pelo mercado português da plataforma.

Nos próximos meses, a Zomato Portugal tem a ambição de lançar o serviço por subscrição Gold na região do Algarve e pretende prestar cada vez mais apoio operacional aos restaurantes dos mercados fora do território português.

Para já, está afastado o lançamento de um serviço de entrega de refeições, como já existe na Índia. “É um mercado que ainda está a começar e sabemos que as empresas que atuam neste sector têm tido muitas ‘dores’. Não nos importamos de entrar um pouco mais tarde mas de forma mais sustentável”, explicou Miguel Alves Ribeiro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O presidente do Novo Banco, António Ramalho, conversa com Teresa Leal Coelho (ausente da foto), presidente da Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, durante a audição na Assembleia da República, Lisboa, 21 de março de 2019.  ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Ramalho: “DG Comp não tem particular simpatia pelos bancos portugueses”

António Tomás Correia, presidente da Associação Mutualista Montepio Geral

( Gustavo Bom / Global Imagens )

ASF inicia processo de avaliação da idoneidade de Tomás Correia

Rodrigo Costa, CEO da REN Fotografia: MÁRIO CRUZ/LUSA

Rodrigo Costa: “Já pagámos 127,5 milhões” de CESE

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Zomato aposta em menus secretos para liderar subscrições em Portugal