Ana Rita Guerra

De "nova Steve Jobs" ao banco dos réus

Com olheiras e cabelo desgrenhado, usando uma máscara grande demais para a sua cara, a Elizabeth Holmes que apareceu em tribunal para a selecção dos jurados no seu julgamento estava quase irreconhecível. A ex-CEO da Theranos, uma super startup médica que prometia revolucionar a indústria dos testes de diagnóstico, vai ser julgada por fraude. Em causa está uma sucessão de mentiras aos investidores e ao mercado sobre as capacidades da Theranos e a sua rentabilidade. Posto de forma sucinta, quase tudo o que Elizabeth Holmes disse sobre a sua empresa, que fundou aos 19 anos, era mentira.

Ana Rita Guerra

Já temos vacinas. Podemos ter certificados internacionais?

A promessa era de que sentiríamos novamente o cheiro a liberdade assim que grande parte da população estivesse imunizada contra a covid-19. Os proponentes do "deixem passar" apostavam na imunidade de grupo via infecções generalizadas, os apoiantes da ciência envidaram, e bem, pela estratégia de vacinação em massa que está em curso. A imunidade de grupo já sabemos que é praticamente impossível no médio prazo e a variante Delta está a baralhar o calendário de alívio das restrições.

Ana Rita Guerra

Discriminem os não vacinados

Quando o governador da Califórnia acabou com as últimas restrições relacionadas com a pandemia de covid-19, a 15 de Junho, o estado mais populoso dos Estados Unidos atirou as máscaras para o chão e foi a correr para parques, bares, restaurantes e cinemas. Os estabelecimentos aderiram a um sistema de honra, pedindo aos consumidores não vacinados que continuassem a usar máscara. Ora, o último ano e meio provou que a fé na Humanidade é altamente exagerada e isto deu, obviamente, para o torto.

Ana Rita Guerra

Há 100 anos, havia uma Wall Street Negra. Foi destruída por racistas

As primeiras cenas da série "Watchmen", que Damon Lindelof realizou de forma brilhante para a HBO, mostram o horror vivido pelos habitantes de Greenwood, Tulsa, quando uma multidão racista destruiu o distrito. As imagens são tão pungentes, tão difíceis de assimilar, que muita gente acorreu ao Google para acalmar os nervos. O massacre de Tulsa em 1921 aconteceu mesmo? Para seu pavor, os resultados devolvidos pelo motor de busca confirmaram aquilo que, 100 anos depois, grande parte da população ainda desconhece.