Financial Times

Costa quer “excelência dos artesãos” portugueses no topo do luxo mundial

Foto: Financial Times
Foto: Financial Times

Ao discurso de Costa não faltou ainda uma referência à vitória de Portugal no Festival da Eurovisão.

Lisboa é até amanhã a capital mundial do luxo. Mas para o primeiro-ministro, António Costa, esse estatuto não pode ser apenas temporário. Na abertura da cimeira anual do jornal britânico Financial Times dedicada ao setor do luxo, o primeiro-ministro destacou o tema como “particularmente importante para a economia europeia neste mundo global”, e enumerou as qualidades nacionais que podem colocar Portugal no roteiro mundial do luxo.

“A globalização é uma oportunidade para a massificação do luxo. A Europa, para ser competitiva, tem de investir em bens e serviços que geram valor acrescentado. O que marca o luxo é o seu caráter único e diferenciado e só a mão humana, o sentimento ou a cultura acumulada ao longo de séculos podem permitir essa diferenciação. Só na Europa conseguimos juntar criatividade com tradição. Há outras regiões do mundo com elevado nível de criatividade, mas dificilmente se encontra outro espaço como o europeu que une a tradição com criatividade, e Portugal conhece bem esse processo”, destacou o primeiro-ministro.

Costa recordou os “novos bens e novos sabores” que os descobridores portugueses trouxeram para a Europa, que já na altura criaram uma “cadeia de valor que desenvolveu o luxo”.

Para o líder do Governo, a diferenciação de Portugal neste setor deve ser feita através dos recursos humanos altamente qualificados, “fruto do investimento dos últimos anos”. Costa destacou a posição de “primeira linha” do país ao nível da criatividade e da inovação tecnológica, e a “longa tradição de abertura e tolerância” do país.

“O contacto entre os diferentes gera criação e o novo”, sublinhou, antes de enumerar uma série de artistas, como Joana Vasconcelos, Vhils e Julião Sarmento, que têm contribuído para “a crescente afirmação de Portugal” e ao “crescimento da produção artística” reconhecida lá fora.

Ao discurso de Costa não faltou ainda uma referência à vitória de Portugal no Festival da Eurovisão. “Este fim de semana, um jovem cantor português ganhou pela primeira vez o Festival da Eurovisão, alcançando o maior número de pontos de sempre, e fê-lo cantando em português e com uma canção onde, mais do que a compreensão do se dizia, a expressão pessoal do sentimento foi a chave do resultado”, destacou o primeiro-ministro numa referência a Salvador Sobral.

Costa sublinhou ainda que “o que tem mais valor neste mundo global e o que se consegue diferenciar” é a “intrínseca qualidade humana, insubstituível pelos robots e pela falta de criatividade”.

Não descartando a importância da evolução tecnológica no crescimento da economia, o primeiro-ministro chamou ainda a atenção para a “intensa rede de incubadoras que tem vindo a animar a criação de startups”, dando os exemplos concretos da Feedzai ou da Farfetch. “Queremos manter e conservar excelência dos nossos artesãos e criar espaço para que todos aqueles, de todas as partes do mundo, possam estabelecer-se aqui”, concluiu o primeiro-ministro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A administradora delegada da Media Capital, Rosa Cullell (E), acomapnhada pelo CEO da Altice Media, Alain Weill (2-E), do CEO do Grupo Altice, Michel Combes (2-D), e do Chairman e CEO da Portugal Telecom, Paulo Neves (D), fala durante uma conferência de imprensa sobre a compra da Altice sobre o grupo Media Capital,. Fotografia: ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Compra da TVI pelo Meo pode “criar entraves significativos à concorrência”

O ministro das Finanças, Mário Centeno (E), acompanhado por Carlos Tavares (D), antigo presidente da CMVM, durante a sessão de apresentação pública do relatório do Grupo de Trabalho para a Reforma do Modelo de Supervisão Financeira. (ANDRÉ KOSTERS/LUSA)

Belém e Parlamento terão de validar novo governador do Banco de Portugal

Cristina Casalinho, presidente do IGCP. Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens

Casalinho quer alongar pagamento da dívida para evitar picos de reembolsos

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Costa quer “excelência dos artesãos” portugueses no topo do luxo mundial