CDS-PP

Cristas não exclui novo Governo com PS, mas é pouco provável

Assunção Cristas fala do futuro
Assunção Cristas fala do futuro

Assunção Cristas não excluiu que no atual quadro parlamentar seja possível "devolver a bola" a PSD e CDS para governar

A candidata à liderança dos centristas Assunção Cristas não excluiu hoje que no atual quadro parlamentar seja possível “devolver a bola” a PSD e CDS para governar, apesar de considerar pouco provável com o atual líder do PS.

“No atual quadro parlamentar houve uma coligação que ganhou eleições, se porventura, dirá num cenário pouco provável, vier a acontecer alguma mudança do lado do PS, eu acho que é sempre possível devolver a bola à coligação que ganhou as eleições e verificar se há condições para a governação e, nesse caso, certamente que o CDS lá estará”, afirmou Assunção Cristas.

Na sede nacional do CDS, em Lisboa, durante a apresentação da sua moção de estratégia global ao 26.º Congresso, Assunção Cristas ressalvou, contudo, duvidar “que seja sequer possível ou sequer provável com o atual líder do PS”.

“A minha convicção é que o CDS deverá ir sozinho a eleições, de maneira a poder crescer e contribuir mais ativamente para um Governo de centro-direita no nosso país”, defendeu Assunção Cristas.

A ex-ministra da Agricultura não excluiu, por outro lado, considerar a realização de primárias abertas para a escolha dos candidatos à Assembleia da República, uma discussão lançada pela moção de João Almeida e Adolfo Mesquita Nunes, e hoje divulgada.

“O partido tem feito trabalho relevante conseguindo ter um belíssimo grupo parlamentar, certamente que podemos melhorar os métodos de escolha e esse é um debate que caberá a seu tempo no Congresso e posteriormente também”, respondeu, quando questionada pelos jornalistas sobre a realização de primárias.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Alberto Souto de Miranda
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Governo. “Participar no capital” dos CTT é via “em aberto”

Congresso APDC

“Temos um responsável da regulação que não regula”

Congresso APDC

Governo. Banda larga deve fazer parte do serviço universal

Outros conteúdos GMG
Cristas não exclui novo Governo com PS, mas é pouco provável