CDS-PP

Cristas não exclui novo Governo com PS, mas é pouco provável

Assunção Cristas fala do futuro
Assunção Cristas fala do futuro

Assunção Cristas não excluiu que no atual quadro parlamentar seja possível "devolver a bola" a PSD e CDS para governar

A candidata à liderança dos centristas Assunção Cristas não excluiu hoje que no atual quadro parlamentar seja possível “devolver a bola” a PSD e CDS para governar, apesar de considerar pouco provável com o atual líder do PS.

“No atual quadro parlamentar houve uma coligação que ganhou eleições, se porventura, dirá num cenário pouco provável, vier a acontecer alguma mudança do lado do PS, eu acho que é sempre possível devolver a bola à coligação que ganhou as eleições e verificar se há condições para a governação e, nesse caso, certamente que o CDS lá estará”, afirmou Assunção Cristas.

Na sede nacional do CDS, em Lisboa, durante a apresentação da sua moção de estratégia global ao 26.º Congresso, Assunção Cristas ressalvou, contudo, duvidar “que seja sequer possível ou sequer provável com o atual líder do PS”.

“A minha convicção é que o CDS deverá ir sozinho a eleições, de maneira a poder crescer e contribuir mais ativamente para um Governo de centro-direita no nosso país”, defendeu Assunção Cristas.

A ex-ministra da Agricultura não excluiu, por outro lado, considerar a realização de primárias abertas para a escolha dos candidatos à Assembleia da República, uma discussão lançada pela moção de João Almeida e Adolfo Mesquita Nunes, e hoje divulgada.

“O partido tem feito trabalho relevante conseguindo ter um belíssimo grupo parlamentar, certamente que podemos melhorar os métodos de escolha e esse é um debate que caberá a seu tempo no Congresso e posteriormente também”, respondeu, quando questionada pelos jornalistas sobre a realização de primárias.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Taça Portugal - Benfica vs Sporting

Benfica encaixa 50 milhões. SAD fala em “capacidade acrescida de tesouraria”

A ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva ,à chegada para a reunião da Comissão Permanente de Concertação Social, em Lisboa, 26 de fevereiro de 2020. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Governo mantém todas as restrições na Grande Lisboa por mais 15 dias

Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, (MIGUEL A. LOPES/LUSA)

Governo exige que Bélgica retire Alentejo e Algarve de zonas arriscadas

Cristas não exclui novo Governo com PS, mas é pouco provável