Seguradoras

José Pedro Inácio: “A LOGO descomplicou o sector segurador”

José Pedro Inácio, administrador da LOGO
José Pedro Inácio, administrador da LOGO

"O online está a mudar toda a atividade seguradora e a forma como as seguradoras se relacionam com os seus clientes", diz o administrador da LOGO

Foi a primeira seguradora low-cost em Portugal e hoje tem uma carteira de mais de 100 mil clientes. O Dinheiro Vivo entrevistou José Pedro Inácio, administrador da LOGO.

Queria começar pelos principais indicadores da LOGO. Ou seja, quantos clientes têm, montante em prémios, resultados mais recentes, quotas nos vários segmentos?

A quota total da LOGO, no mercado direto, é de cerca de 20%, o que nos posiciona na terceira posição, muito perto do segundo lugar (e em competição com seguradoras com mais de 10 anos de presença no mercado).

Embora o ramo automóvel seja a principal área de atividade para a LOGO, onde também temos uma quota de 20%, com o lançamento da primeira oferta “triple play” entre as seguradoras conseguimos obter resultados muito positivos para os restantes segmentos. De facto, na vertente “Saúde” a LOGO tem uma quota aproximada a 50% e é claramente a seguradora direta número um. Na vertente “Casa” temos aproximadamente 30% de quota. Ambos os ramos cresceram acima dos 20% em 2014, crescimento que se continuou a fazer sentir ao longo de todo o ano de 2015.

Importa ainda referir que a LOGO reforçou igualmente em 2015 o segundo lugar das seguradoras diretas em termos de “Top of Mind” e de “Notoriedade Espontânea e Total” (dados do BASEF de seguros), sendo líder enquanto marca “Mais Inovadora” e “Melhor preço” (dados do BASEF de Seguros, por ponto de quota).

Atualmente, contamos com uma carteira de mais de 100 000 clientes.
No que é que a LOGO se diferencia face às restantes seguradoras presentes no mercado nacional? Qual a importância dos meios digitais para a seguradora?

A LOGO foi a primeira seguradora low-cost em Portugal.

Com a utilização de sistemas e meios tecnológicos, que permitem o conhecimento personalizado de cada cliente, e com a simplificação e eficiência de todos os processos, reduzindo assim os desperdícios e acabando com burocracias e papéis desnecessários, a LOGO descomplicou o setor segurador. Precisamente por ter conseguido simplificar os processos e eliminar uma série de custos (loja, balcões, papeis, etc), e também pela adoção de capacidades adicionais de análise de risco, conseguimos praticar preços mais ajustados ao risco de cada caso do que a concorrência.

Por outro lado, a inovação é um dos pilares da LOGO, que aposta, desde a sua criação, em novas soluções, novas formas de comunicar e sobretudo na diferenciação, com o seu core nas tecnologias que melhor servem o cliente. O online está a mudar toda a atividade seguradora e a forma como as seguradoras se relacionam com os seus clientes.

Para nos diferenciarmos no mercado, apostamos nos canais online. Lançamos a app MyLOGO, que já conta com mais de 5 mil registos”

Na prática, o foco está totalmente à volta do cliente – client centric – e não à volta de apólices e sinistros. Para nos diferenciarmos no mercado, apostamos nos canais online. Lançamos a app MyLOGO, que já conta com mais de 5 mil registos efetuados e que permite, por exemplo, o pagamento de um recibo ou a participação de um sinistro sem burocracia. A aposta nas redes sociais está igualmente no centro do nosso negócio. A LOGO ocupa o primeiro lugar na área das seguradoras, no Facebook, em Portugal (fonte: RankuPT e Social Bakers) e lançou recentemente um Blog para partilha de conteúdos informativos.

Além disso, fomos a primeira seguradora direta com a oferta Triple Play, que consiste num “pacote” com os 3 principais seguros de um cliente particular: Auto, Casa e Saúde. Através desta oferta, além de ganhar em simplicidade, rapidez e conveniência, o cliente poderá ainda poupar quantias consideráveis.

A aposta nas redes sociais está igualmente no centro do nosso negócio. A LOGO ocupa o primeiro lugar na área das seguradoras, no Facebook, em Portugal”

Prestam serviço de white labelling em seguros a outras empresas? Quais?

Sim. De momento algumas das empresas nossas parceiras são o Benfica, a Oney, a Cetelem e a Via Verde.

A tendência que se tem vindo a evidenciar e a crescer mais nos últimos anos nos seguros diretos é a área do digital, onde a LOGO se tem destacado. Cada vez mais os consumidores optam por soluções mais simples, fáceis e rápidas, fugindo dos processos e serviços que impliquem grandes burocracias e dispêndio de tempo. A LOGO detém a experiência, o know-how, os recursos e a tecnologia e com o white labelling fornecido pela LOGO o seu parceiro passa a oferecer aos seus clientes um serviço adicional de qualidade e simplicidade.

Cada vez mais os consumidores optam por soluções mais simples, fáceis e rápidas, fugindo dos processos e serviços que impliquem grandes burocracias e dispêndio de tempo”

Temos tido uma recetividade muito boa em relação a esta aposta já que dispomos de uma oferta muito interessante sustentada em confiança, descomplicação e inovação e consideramos natural que o mercado venha a continuar a abordar-nos no sentido de serem estabelecidas mais parcerias neste âmbito. Trata-se de uma verdadeira solução “plug & play” para o parceiro que só a LOGO pode dar.

Qual a importância deste serviço? E pretendem alargar a oferta a mais empresas? Quais?

É uma área de negócio estratégica, nomeadamente porque se trata de um negócio claramente win-win, que traz consigo inegáveis vantagens para o parceiro, ao permitir o acesso direto a uma plataforma online e offline já existente, que se pode adaptar a cada caso. Ou seja, estamos a falar de um serviço que permite ao parceiro oferecer um novo produto/serviço sem a necessidade de fazer qualquer investimento no desenvolvimento desse produto, tecnologia, infra-estrutura, rede de suporte ao cliente ou alocação de recursos.

Considerando a interessante proposta de valor que só a LOGO pode dar, é natural que surjam ainda mais parcerias.

O setor segurador em Portugal atravessa um período de renovação e de retoma”

José Pedro Ináçio, Seguros LOGOQue análise faz à situação atual do setor segurador?

Após um período conturbado associado à crise económica, o setor segurador em Portugal atravessa um período de renovação e de retoma, sendo que os níveis de confiança dos portugueses têm vindo a aumentar.

Em Setembro de 2015, a Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF) revelou resultados otimistas para as seguradoras portuguesas. Por outro lado, a Associação Portuguesa de Seguradores (APS) revelou que a oferta de seguros Não Vida apresenta resultados encorajadores. Com efeito, os seguros Não Vida, nos quais a oferta da LOGO se insere, cresceram 2,7% no primeiro semestre de 2015 no que diz respeito à sua produção, para mais de 2,4 mil milhões de euros, face aos cerca de 2,3 mil milhões de euros do primeiro semestre de 2014.

Adicionalmente, o novo regime de Solvência que entrou em vigor no passado dia 1 de janeiro cria novos desafios ao setor, que se tem vindo a preparar no sentido de ser ainda mais resiliente.
Como prevê que seja a evolução futura do negócio?

No que diz respeito ao mercado, esperamos a consolidação da recuperação, com um crescimento de cerca de 2 a 3% nos prémios do ramo Não Vida.
Quais os objetivos para 2016? Pretendem apostar em novas áreas/segmentos? E em novos produtos?

Uma vez que alcançamos o break-even da operação em 2014, os nossos objetivos passam agora por continuar a crescer de forma rentável e por preparar a operação de forma a, num curto prazo, atingirmos a segunda posição no mercado das seguradoras diretas.

Esperamos a consolidação da recuperação, com um crescimento de cerca de 2 a 3% nos prémios do ramo Não Vida”

Nesse sentido, estamos a investir para tornar a LOGO cada vez mais digital, aquilo a que internamente chamamos a “LOGO 3.0”, uma empresa ainda mais client-centric.

Faz parte desta estratégia tornar a LOGO uma empresa multi-oferta, e não apenas Auto, com o aprofundamento tanto do Triple-Play como de outros produtos. Além de trabalharmos a angariação de clientes (também com novos canais digitais), a fidelização é neste momento um eixo prioritário (com a industrialização do programa de retenção e a construção e reforço do programa de parcerias).

Por último, em 2015 a LOGO continuou a afirmar a sua liderança tecnológica e de inovação, com projetos de fundo na área Cloud e Big Data e ainda com o lançamento de várias novidades. Disponibilizámos para os clientes (atuais e potenciais) a nova Área Cliente, o “Kiosk digital” (o primeiro ponto de contacto de uma seguradora no Facebook), a Certificação da emissão da facturação e recibos pela Autoridade Tributária (primeira seguradora a fazê-lo), e ainda algumas outras novidades que serão apresentadas nos próximos meses.

Tudo isto para continuarmos a satisfazer as reais necessidades dos clientes, com uma oferta simples e fácil, que oferece uma poupança real.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
TimVieira_1-1024x683

“Fui quem mais investiu e mais perdeu no Shark Tank. E também quem ganhou mais”

João Lourenço, Presidente de Angola. Fotografia: ESTELA SILVA/LUSA

Dívida externa angolana financiou “enriquecimento ilícito de uma elite”

Lisboa, 12/06/2019 - Mariana Vieira da Silva, ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, fotografada esta tarde nos estúdios da TSF, durante uma entrevista 'A Vida do Dinheiro'  TSF/Dinheiro Vivo.
( Gustavo Bom / Global Imagens )

Mariana Vieira da Silva: Repetir a geringonça “é possível e desejável”

Outros conteúdos GMG
José Pedro Inácio: “A LOGO descomplicou o sector segurador”