As marcas que fizeram dos tempos difíceis um propulsor da proximidade 

Nesta edição de Brands 4 Life estiveram Constança Macedo, diretora de comunicação, marca e responsabilidade social do BPI, e André Silva, diretor de comunicação da Mercadona Portugal, ambas marcas a prestar serviços de primeira necessidade aos portugueses, no setor financeiro e na distribuição.

Há pouco tempo em Portugal, para a Mercadona, a pandemia foi uma prova de fogo - bem superada! Assegurar todas as condições de segurança para os colaboradores e clientes (os chefes, como são designados internamente) foi uma prioridade, tendo-se garantido que "toda a comunicação que fazíamos através das nossas redes sociais e meios de comunicação era coerente com aquilo que as pessoas viam nas lojas", explica André Silva.

A seu favor, tal como sucedeu ao BPI (Grupo CaixaBank), esteve o impacto precoce da covid-19 em Espanha, que permitiu antecipar a reação de ambas as marcas aos desafios da pandemia, afinar o plano de contingência e criar um conjunto de medidas, entre as quais o apoio às famílias e empresas em termos de liquidez, no caso do BPI.
A prioridade "foi manter a tranquilidade das pessoas" na relação com o banco, garantindo o acesso permanente ao mesmo, salvaguardando a sua liquidez e criando soluções específicas para grupos de risco, explica Constança Macedo. Por outro lado, o forte investimento em inovação e em transformação digital "permitiu ter canais permanentes de contacto com o banco", explica.

"A comunicação tem de ser consistente, coerente e verdadeira com os valores da marca", no caso do BPI, "o compromisso social, a qualidade e a confiança", daí o anúncio "Dá mais valor ao nós do que ao eu", para mostrar que o banco estava "ao lado das empresas, famílias e sociedade em geral.
Na Mercadona, o vídeo "Limpar é muito mais do que limpar - #IstoPassará" é o exemplo da aposta no content marketing e conteúdos úteis. "Havia que garantir e motivar os fornecedores que tudo isto ia passar e que não íamos parar, íamos continuar a fornecer produtos aos supermercados e aos clientes.

"Estamos claramente tranquilos, temos um banco muito capitalizado, com muita liquidez . Estamos comprometidos em continuar a apoiar as famílias, as empresas e a sociedade em geral e em ajudar na retoma da economia", frisa Constança Mendonça.
André Silva aponta a expansão da marca, com "criação de emprego estável e de qualidade. É importante reforçar que a Mercadona criou uma empresa portuguesa", para que todos os impostos fossem pagos em Portugal. As políticas de responsabilidade social estão também a ser reforçadas, especialmente na área da alimentação e apoio a fornecedores portugueses.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de