Cerimónia virtual presta homenagem a projetos de resposta à Covid-19 e lança novas iniciativas

Santander Universidades e U.Porto, recordista do voluntariado universitário, serão anfitriãs do evento que vá contar com a presença do ministro da Ciência e da Tecnologia

Está prestes a decorrer, na manha desta sexta-feira 4 de dezembro, entre as 11h15 e as 12h30, a já habitual cerimónia do Santander Universidades para assinalar o Dia Internacional do Voluntariado. Só que, em ano de pandemia, tudo será diferente: o evento é virtual, antecipou-se um dia (para fugir ao sábado, verdadeira data da efeméride, mas em que o país parece fechar-se a partir das 13h) e os já usuais Prémios (anuais) de Voluntariado Universitário Santander foram substituídos por uma homenagem a projetos de resposta à Covid-19 apoiados pelo banco e pelo lançamento da "U.Porto Inspira-te".

No evento irão participar (participaram), entre outras personalidades, o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, e o CEO do Banco Santander Portugal, Pedro Castro e Almeida. A cerimónia é livre e quem quiser pode assistir inscrevendo-se aqui.

"Este ano, sob o lema 'Santander Inspira-te', substituímos a tradicional entrega do Prémio Santander de Voluntariado Universitário, por uma celebração dos projetos vencedores do Prémio Uni-Covid.19, uma iniciativa que pretendeu realçar e apoiar as iniciativas com impacto social que os jovens universitários e outros membros da comunidade académica realizaram neste contexto adverso", explicou Inês Oom de Sousa, administradora do Santander.

Para além das intervenções do ministro e de diversos responsáveis do banco e da Universidade do Porto, no evento serão apresentados quartro dos projetos vencedores o Prémio Santander Uni.Covid-19, criado logo no início da pandemia com o objetivo de distinguir e apoiar projetos e ideias que contribuem para responder à situação de emergência provocada pelo coronavírus.

Serão alguns dos "mais marcantes (foram 14 de entre 336 candidaturas de jovens universitários)", disse Inês Oom de Sousa, explicando que serão "debatidas questões relacionadas com a sua implementação no terreno", agora que já passaram alguns meses desde que primeiro foram lançados.

Entre os selecionados, figurará o Street Store, projeto organizado pela Associação Académica de Coimbra com o fim de apoiar os sem-abrigo da cidade com recolha e doação de vestuário, alimentos e kits de proteção; e também o Com Ânimo, Sem Pânico, em que alunos do Instituto Superior Técnico criaram uma plataforma e fizeram o "matching" entre universitários e alunos de secundário para os ajudar a preparar para os exames nacionais, nesta época de choque e perturbação psicológica.

Outro dos projetos presentes será o ZELAR@CB - Zelar pelos idosos isolados em espaços rurais - já antes noticiado pelo Dinheiro Vivo -, criado pelo Politécnico de Castelo Branco, que recorreu às novas tecnologias para criar uma app de monitorização de indicadores relacionados com as atividades diárias de idosos isolados da região e alertar para a modificação dos seus hábitos, que podem ser indicadores de acidente ou doença.

E estará também o MinhoCovid19, projeto desenvolvido pela Associação Académica da Universidade do Minho que consiste numa plataforma de doação e distribuição, com comprovada transparência, de materiais de proteção para diversas entidades. Até junho, foram entregues cerca de 13.000 materiais a cerca de 48 instituições. Depois do verão, os voluntários do MinhoCovid19 detetaram que passou também a haver uma enorme carência de refeições. Por isso, juntaram-se à associação "Virar a página" e neste momento distribuem cerca de 2.500 refeições por semana, sobretudo a sem-abrigo e famílias vulneráveis, com uma equipa que já atingiu os 100 voluntários.

Tudo isto será objeto de um debate, a decorrer no evento, sobre os principais desafios sentidos no terreno pelos projetos universitários, moderado por Cristina Dias Neves, Responsável de Mecenato do Santander Universidades.

Mas há mais. "Quisemos aproveitar esta ocasião para lançarmos com a Universidade do Porto, uma formação dedicada à 'Criação de projetos de voluntariado e impacto social'", revelou Inês Oom de Sousa. Referia-se a responsável ao programa de formação online Inspira-te Santander-U. Porto com o o objetivo de ensinar a desenvolver projetos universitários com impacto social e que tem início marcado para abril de 2021. "O que se pretende é inspirar, motivar e criar ferramentas para que todos os elementos da comunidade académica, sejam este alunos, docentes ou não docentes, consigam com sucesso implementar as suas ideias para melhorar o mundo", concluiu Inês Oom de Sousa.

A Universidade do Porto será a pioneira no lançamento deste programa, e é hoje a coanfitriã do evento de comemoração deste, porque tem sistematicamente merecido o Prémio IES +Voluntária por ser a que, ano após ano, mais projetos candidata aos Prémios de Voluntariado Universitário Santander.

Quer seja agora, quer seja em 2021, a preocupação imediata de todos estes projetos e iniciativas é a resposta à Covid-19, doença com qual vamos ter de conviver durante muitos anos. O que leva à questão de saber se, por exemplo, o Prémio Uni-Covid.19 é uma iniciativa para continuar.

"Uma das alterações que esta situação nos trouxe, é a capacidade de conseguirmos trabalhar com planos de muito curto prazo", começou por dizer a administradora do Santander. "Podemos dizer que esta área da promoção do voluntariado e de iniciativas com impacto nas comunidades por parte dos jovens universitários vai continuar um eixo muito importante no nossa estratégia. Provavelmente vamos continuar a atribuir este tipo de apoios diretos aos grupos para implementar os seus projetos, mas também evoluir no sentido de apoiar a criação de competências a todos aqueles jovens que tenham vontade de fazer mais, mas não sabem como", concluiu.

Na cerimónia de hoje, Inês Oom de Sousa é precisamente uma das oradoras, que vai fechar os temas apresentados falando dos "Desafios do Santander Universidades em 2021".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de