Covid-19 não travou 2.ª edição das Bolsas de Mobilidade Santander Global

As ajudas financeiras são de 500 ou 1.000 euros para alunos com dificuldades económicas. Inscrições até ao fim de novembro

O Santander Universidades acaba de lançar a 2.ª edição das Bolsas de Mobilidade Global. Mesmo em era de pandemia, é tal a relevância dos programas de intercâmbio para o desenvolvimento dos estudantes universitários, considera uma responsável do banco, que se justifica a continuação desta aposta. As inscrições estão abertas até 30 de novembro, há 242 bolsas disponíveis e a ajuda financeira oscila entre os 500 e 1.000 euros.

"Hoje em dia, num mundo cada vez mais global e imprevisível, é muito importante que os jovens consigam sentir-se bem trabalhando e tendo intercâmbios com outras culturas e outras vivências e, simultaneamente, que tenham a flexibilidade e capacidade de adaptação a novas realidades", afirmou Cristina Dias Neves, diretora do Mecenato do Santander Universidades. Segundo diz a responsável, "há estudos feitos que indicam que os jovens que fazem programas de mobilidade têm níveis de empregabilidade superiores àqueles que os não fazem".

"É por essa razão que, apesar da situação que vivemos, e aproveitando também o facto de sermos um banco internacional com ramificações em vários países do mundo, aproveitamos para incentivar sempre este tipo de programas junto das universidades nossas parceiras", concluiu Cristina Dias Neves.

Ao todo, há 242 bolsas disponíveis em dez universidades de norte a sul do país e na Madeira (veja a lista abaixo). Até dia 30 de novembro, os interessados podem candidatar-se online. As bolsas têm por objetivo dotar os estudantes de licenciatura ou mestrado, com limitações económicas, de um complemento financeiro, de modo a permitir-lhes participarem em programas de mobilidade - sejam eles os do próprio Santander, o Erasmus ou outros - que, de outro modo, não fariam.

"As Bolsas Santander de Mobilidade Global foram lançadas pela primeira vez o ano passado", frisou a responsável do Santander Universidades. "A adesão foi muito significativa na edição anterior: tivemos mais do dobro de candidatos para o número de bolsas que tínhamos na maior parte das instituições com as quais trabalhámos", revelou Cristina Dias Neves. "É por essa razão que nós, apesar da situação na qual nos encontramos agora, resolvemos voltar a lançar esta convocatória", reiterou.

Para se candidatarem, os estudantes têm de estar a fazer a sua licenciatura ou mestrado numa instituição de ensino superior que pertença à rede Santander Universidades, ter mérito escolar comprovado, nacionalidade portuguesa e um rendimento anual pessoal ou familiar per capita igual ou inferior a 22 vezes o valor do Indexante de Apoios Sociais (IAS) - isto é, ficar abaixo dos 9.700 euros, aproximadamente.

"Consideramos que a mobilidade nos jovens e, sobretudo nos universitários, é uma experiência fundamental para a sua formação, não só pessoal como profissional", sublinhou a responsável. E, diz Cristina Dias Neves, com o Santander Universidades foi possível verificar que havia muitos jovens que, devido à sua condição, não podiam frequentar esses programas de intercâmbio.

"As Bolsas de Mobilidade do Santander Universidades fazem parte da sua tradição enquanto atividade mecenática. Ou seja, o programa Santander Universidades está muito ancorado nas bolsas de mobilidade, desde que foi criado em Portugal há cerca de 18 anos", explicou a diretora do Mecenato deste programa.

Esta tradição, segundo contou, começou pelas Bolsas de Mobilidade Luso-Brasileiras, depois evoluiu para as Bolsas Ibero-Americanas - "que mantemos e continuamos a trabalhar com muito cuidado", frisou - e, finalmente, o ano passado foram lançadas estas Bolsas Santander de Mobilidade Global, "a pedido de várias instituições e de muitos jovens", afirmou Cristina Dias Neves.

Este ano, para 242 destes jovens, cujo esforço financeiro para estudarem é maior, as Bolsas Santander Mobilidade Global pretendem ser uma solução para acrescentarem ao seu currículo a mais-valia de um intercâmbio Académico.

Lista das Universidades aderentes às Bolsas Santander de Mobilidade Global:

Academia Militar
Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Instituto Politécnico de Castelo Branco
Instituto Politécnico Setúbal
Instituto Superior de Engenharia de Lisboa
Universidade de Coimbra
Universidade de Évora
Universidade da Madeira
Universidade do Porto
(10.ª IES aderente aguarda confirmação)

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de