IST corre com o seu primeiro barco de corridas a hidrogénio em Prémio de Energia no Mónaco

As provas estão em curso desde 3ª feira e terminam este sábado. A vitória está na mente dos estudantes do IST tanto para o seu bólide solar como para o movido a hidrogénio, mas para este poderá ser ainda uma edição de aprendizagem

O seu nome é SM01 , abreviatura de São Miguel 01, é o primeiro barco de corridas movido a hidrogénio construído pelos alunos do Instituto Superior Técnico (IST) e está a disputar a 8ª edição do Monaco Energy Boat Challenge, prova que teve início na terça-feira e termina este sábado, 10 de julho. A estreia do novo bólide de corridas na Energy Class acontece a par de outra, a do seu homólogo solar, o SR03 (São Rafael 03) que como o próprio número indica vai já na sua terceira versão e que a equipa espera que conquiste o título de campeão da sua categoria, a Solar Class, onde o IST se sagrou vice-campeão em 2019 com o SR02.

Após dois anos de árduo trabalho - como se pode perceber pelo relato feito pela equipa do Técnico Solar Boat (TSB) aquando da apresentação do SM01 -, o barco de corridas a hidrogénio já há algum tempo prometido pela equipa do IST ficou finalmente pronto e contou, entre outros, com o copatrocínio do Santander Universidades.

Para já, as notícias chegadas do Mónaco são animadoras. o SM01 deu o seu "primeiro mergulho" esta quarta-feira, conseguiu navegar pela primeira vez e passou na inspeção técnica imposta pela organização da competição, segundo informou Duarte Silva, responsável pelo Marketing da equipa do Técnico Solar Boat (TSB).

"A embarcação é constituída por dois flutuadores, fornecidos pela competição, e um monoquoce", explicou o responsável. "O monoquoce foi construído pelos membros do TSB e é composto por fibra de linho, tentando assim que esta fosse a construção mais sustentável possível", adiantou.

A sustentabilidade é, aliás, um dos requisitos do Monaco Energy Boat Challenge: quanto maior, melhor.

Duarte Silva contou que as estimativas da equipa apontam para uma autonomia do SM01 de 16 milhas náuticas em duas horas, com uma velocidade máxima de 6 a 11 nós.

Isto graças a um motor de combustão com uma PEM Fuel Cell - ou, em português, uma célula de combustível de membrana de troca protónica - que é alimentada por ar e hidrogénio, segundo explicou o responsável. "Na PEM Fuel Cell ocorre a reação inversa da eletrólise: o oxigénio presente no ar e o hidrogénio armazenado em dois tanques de 10l a 200 bar reagem para produzir energia, que encaminhamos para o nosso motor elétrico, e água", conclui Duarte Silva.

À despedida o responsável do marketing da equipa salienta que esta é a primeira vez que o TSB participa na Energy Class desta competição. "Em relação ao SM01, é uma edição de aprendizagem e irá servir para perceber melhor o que poderá ser optimizado. Mas claro, sempre com a vitória em mente!",a firma Duarte Silva.

Já quanto à Solar Class, a equipa do TSB vai já no seu terceiro protótipo e, em 2019, com a versão anterior, o SR02, sagrou-se vice-campeã. Este ano, a expectativa, com SR03, é mesmo conquistar o título de campeã da categoria.

Se quiser ficar a saber tudo acerca do SR03, também construído com o copatrocínio do Santander Universidades, veja aqui o vídeo de apresentação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de