Prémio de Jornalismo Económico já está a aceitar inscrições

Os PJE vão já na sua 15ª edição e representam 5.000 euros para os jornalistas com os melhores trabalhos nas três categorias previstas. Ou mesmo 10 mil euros, para aquele que, além de vencer a sua categoria, ainda conquistar o "Grande Prémio"

Já desde 2006 que todos os anos o Banco Santander e a Universidade Nova de Lisboa se vêm unindo para distinguir os melhores trabalhos jornalísticos feitos em Portugal nas áreas da economia e negócios e 2021 não será exceção. A 15ª edição dos Prémios de Jornalismo Económico (PJE) já está aí e aceita candidaturas até 26 de abril, pelo que os interessados têm menos de um mês para se inscreverem.

Elegíveis para os PJE são todos os jornalistas com artigos publicados em órgãos de comunicação social escrita ou online durante o ano de 2020, desde que versem sobre as três categorias em que o prémio se divide: Gestão de Empresas e Negócios, Mercados Financeiros e Sustentabilidade e Inovação Empresarial.

As candidaturas são apresentadas online, no site dedicado do Prémio de Jornalismo Económico, que disponibiliza um formulário próprio e todas as informações sobre a iniciativa.

As diversas categorias do PJE representam, para os respetivos vencedores, um valor pecuniário de 5.000 euros e o melhor dos três cumula essa quantia com igual montante por arrecadar o "Grande Prémio", levando para casa 10 mil euros.

Em 2020, este prémio máximo foi conquistado pela revista Exame, com a artigo "O dinheiro é verde?" publicdo em maio de 2019 e assinado por Margarida Vaqueiro Lopes e Paulo Zacarias Gomes, como foi aqui noticiado.

Ao vencer na sua categoria e o Grande Prémio, os jornalistas seus autores irão receber um prémio no valor pecuniário de 10 mil euros.

No site do galardão é possível ver que, ao longo de 14 anos, o Prémio de Jornalismo Económico recebeu 900 candidaturas, que resultaram em 41 prémios, distribuídos por jornalistas de diferentes meios de comunicação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de