Américo Amorim volta a ser o mais rico. Pestana entra no top-10

Américo Amorim repete o primeiro lugar entre os homens mais ricos de Portugal. O empresário de 81 anos tem uma riqueza acumulada de 2,5 mil milhões de euros. As 25 maiores fortunas em Portugal somam 14,7 mil milhões de euros em 2015, mais 2,8% do que em 2014, quando tinham 14,3 mil milhões. Representam 8,5% do PIB nacional, o mesmo peso do que em 2014.

A fortuna de Américo Amorim ficou reduzida em cerca de um quarto (24,7%) devido à desvalorização de cerca de 20% das ações da Galp Energia - onde é o maior acionista - e à venda de 35% do Banco BIC, que ajudou a fundar em 2005 em Angola. A valorização de cerca de 40% da Corticeira Amorim evitou maiores perdas para o dono desta empresa.

Alexandre Soares dos Santos, apesar de manter a segunda posição, aproximou-se da liderança da tabela. O presidente do conselho de administração da Jerónimo Martins ficou 130 milhões de euros mais rico ao aproveitar a subida das ações da dona do Pingo Doce para ficar com uma fortuna avaliada em 1,8 mil milhões de euros, mais 8% do que em 2014.

Belmiro de Azevedo, um dos antigos líderes da tabela feita pela revista Exame, consolidou a terceira posição, graças à subida de 12,8% na sua fortuna pessoal. O antigo chairman e CEO da Sonae ganhou 157 milhões de euros em um ano, beneficiando da valorização dos títulos da retalhista, na qual é o acionista maioritário através da holding pessoal Efanor.

Deixou de ser acionista do grupo EDP, onde detinha uma posição de 4,5%, vendeu parte da participação na Efacec Power Solutions à empresária angolana Isabel dos Santos e viu ainda a Brisa alienar 30% da Concessão Rodoviária a um consórcio de quatro investidores luso-brasileiros.

António Silva Rodrigues é o primeiro empresário cuja riqueza não depende da bolsa. Surge em quinto lugar na tabela, um ganho de dois lugares em relação ao ano passado. A melhoria dos resultados da Simoldes, que faturou cerca de 600 milhões de euros em 2014, permitiram a Silva Rodrigues acumular uma fortuna de 967 milhões de euros, mais 26,9%.

Um dos dois lugares ganhos pelo presidente da empresa de plásticos foi à família Alves Ribeiro, que surge em sexto lugar. As perdas registadas com o Banco Invest levaram a uma perda superior a 400 milhões de euros nos últimos meses. A fortuna pessoal desta família cedeu 38,5% para 663 milhões de euros.

O presidente da Visabeira tem a maior subida do ano. Fernando Campos Nunes ocupa a sétima posição, com uma fortuna de 539,2 milhões de euros, mais 140 milhões do que em 2014. Saiu do final da tabela após ganhar três posições.

A maior novidade mora na oitava posição. O empresário madeirense Dionísio Pestana teve uma subida de 34,5% na sua fortuna, graças aos resultados do grupo de hotéis. A cadeia Pestana é uma das beneficiadas com o aumento das receitas turísticas nos últimos anos, que ultrapassaram os 10 mil milhões de euros só em 2014, segundo os número do Instituto Nacional de Estatística.

A lista dos 10 mais ricos fecha com dois dos primos de Alexandre Soares dos Santos. Maria Isabel dos Santos e Fernando Figueiredo dos Santos ganharam 4,4% para 448 milhões de euros.

Família Mota sai do top-10

A "exposição considerável" da Mota-Engil ao mercado africano foi um dos principais fatores que atiraram a empresa para quedas acentuadas nos últimos 12 meses. Esta região foi bastante afetada pela forte descida das cotações do petróleo, o que levou os títulos da construtora a perder cerca de 60% do valor em bolsa entre julho de 2014 e o mesmo mês deste ano. Este fator levou à saída de António Mota e das irmãs da lista dos 10 mais ricos de Portugal.

Esta família ocupou o sexto lugar no ranking na edição do ano passado. Detinha, na altura, uma fortuna pessoal de 808 milhões de euros, segundo os dados da publicação. Como ocupa agora a 17.ª posição, António Mota e as irmãs deverão ter perdido, pelo menos, perto de metade da sua riqueza. Esta previsão tem em conta que Fernando Figueiredo dos Santos, que é o décimo mais rico de Portugal, tem uma fortuna pessoal de 448 milhões de euros.

Esta é o segundo ano consecutivo em que uma família sai da lista dos mais ricos de Portugal. O ano passado passado ficou marcado pela saída da família Espírito Santo do top-25. Maria do Carmo Espírito Santo Silva, que era a segunda mulher mais rica do país, foi a principal personalidade a ser retirada da lista após o escândalo que culminou no fim do Banco Espírito Santo, há praticamente um ano.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de