Como ser uma empresa Inovadora Cotec

Prazo para candidaturas decorre até ao fim de fevereiro e a empresas distinguidas serão conhecidas em março.

Atuar no território nacional, desenvolver atividades de investigação, desenvolvimento e inovação, possuir uma elevada solidez financeira e ter sido convidada pela Cotec Portugal para aderir à iniciativa. São estas as quatro características essenciais para que uma empresa possa concorrer ao estatuto de Inovadora Cotec. O processo de candidaturas decorre até ao final de fevereiro, sendo a listagem das empresas distinguidas com a chancela divulgada ainda durante o primeiro trimestre.

As empresas devem referir o banco através do qual se candidatam e preencher o formulário disponibilizado na página do Estatuto de Inovadora Cotec. A restante informação será recolhida a partir de fontes públicas. "É um processo muito simples. As informações que solicitamos são aquelas que constam do Inquérito Nacional de Potencial Científico e Tecnológico. Para a esmagadora maioria das empresas é uma informação que já existe", afirma Jorge Portugal.

Em análise no processo de candidatura vão estar tanto indicadores associados ao potencial de inovação, como as despesas e intensidade de I&D ou o registo de propriedade industrial (tanto a nível nacional como comunitário e internacional), como métricas ligadas à capacidade de crescimento empresarial. Exportações, VAB, variação de crescimento de volume de negócios ou nível salarial serão aspetos com peso para que uma empresa seja considerada Inovadora Cotec.
"Ao desenhar este estatuto quisemos que este não estivesse desligado do que são outros indicadores já usados pela banca para reconhecer empresas robustas e com capacidade de gestão", explica Jorge Portugal.

Sendo renovável anualmente, todos os anos a Cotec Portugal publicará a lista atualizada das empresas com o selo de Inovadora Cotec . "O facto de o estatuto ser renovado anualmente permite atualizar a forma como a empresa está a investir no seu potencial de inovação e a traduzir esse potencial em impacto económico e capacidade de produzir valor", explica o diretor-geral da Cotec Portugal.
Para Jorge Portugal, este novo estatuto é um instrumento adicional para ajudar a resolver a atual assimetria de informação entre a banca e as empresas inovadoras, recentemente posto em evidência num relatório realizado pelo Banco Europeu de Investimento e a Cotec. "Numa altura em que estamos numa fase de recuperação económica mas ainda a sofrer os efeitos de uma pandemia, precisamos de uma banca focada e que sinalize o compromisso com a inovação e o futuro", referiu durante a apresentação desta nova chancela.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de