cowork

5 coisas que tem de saber sobre o Second Home Lisbon

O projeto de cowork londrino prepara-se para abrir portas em Lisboa depois do verão. Quer ter 200 fazedores a trabalhar no Mercado da Ribeira.

1. Dinâmica funciona do interior para o exterior. Projetos estrangeiros e empresas ligadas às indústrias criativas e ao design são bem-vindos ao Second Home. O conceito, fundado por Rohan Silva em Londres, tem como visão tirar partido da diversidade e do cruzamento de pessoas diferentes no mesmo espaço. A ideia é que, freelancers e pequenas empresas e projetos de áreas diferentes interajam e que, dessa interação, surjam parcerias e novas ideias. “Teremos lugar para cerca de 200 pessoas em Lisboa. O que nos distingue de outros projetos de cowork é o facto de trabalharmos do interior para o exterior”, explica Frederico Carneiro, diretor do Second Home Lisbon, em entrevista ao Dinheiro Vivo.

2. Second Home procurou líder em Lisboa. Depois do anúncio de uma oportunidade de trabalho publicado no Medium do projeto, o fundador Rohan Silva escolheu Frederico Carneiro, ex-Microsoft, para liderar o projeto na capital portuguesa.

João Vasconcelos, secretário de Estado da Indústria, no jantar de apresentação do Second Home Lisbon.

João Vasconcelos, secretário de Estado da Indústria, no jantar de apresentação do Second Home Lisbon.

3. Faber Ventures é o primeiro residente confirmado. Pensado para agregar empresas e projetos das mais variadas áreas, desde as mais criativas às operacionais, o fundo de capital de risco português Faber Ventures é o primeiro residente confirmado do espaço de cowork no 1º andar do Mercado da Ribeira, em Lisboa. Liderado por Alexandre Barbosa, a Faber tem sede na Avenida da Liberdade mas deverá mudar-se para o Cais do Sodré em breve. O fundo de capital de risco é parceiro do Second Home no projeto para Lisboa.

4. Second Home Lisbon vai ter espaço para eventos com até 40 pessoas. Além da parceria para usufruto do auditório que a Time Out tem no Mercado da Ribeira, o Second Home Lisbon vai ainda ter uma sala de eventos para cerca de 40 pessoas que deverá ser palco dos eventos que integram a agenda interna do espaço de cowork e também outros relacionados com os seus residentes.

5. As candidaturas para Lisboa estão abertas. O Second Home ainda não tem data de inauguração marcada – deverá ser entre o fim de setembro e o princípio de outubro – mas não é por isso que deixa de planear o arranque. Para isso, já estão aberto o processo de candidaturas ao espaço de cowork disponível. O Second Home Lisbon está à procura de inquilinos interessados em “morar” na casa de Lisboa. Pode saber mais sobre as candidaturas aqui.

Como disse Rohan Silva no jantar de apresentação do conceito em Lisboa, “Não podemos pensar em melhor sítio para estar do que aqui”.

Rohan Silva, o secretário de Estado da Indústria João Vasconcelos, e Frederico Carneiro.

O fundador do Second Home Rohan Silva, o secretário de Estado da Indústria João Vasconcelos, e Frederico Carneiro, responsável pelo projeto em Portugal.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A Poveira, conserveira. Fotografia: Rui Oliveira / Global Imagens

Procura de bens essenciais dispara e fábricas reforçam produção ao limite

Fotografia: Regis Duvignau/Reuters

Quase 32 mil empresas recorrem ao lay-off. 552 mil trabalhadores em casa

coronavírus em Portugal (covid-19) corona vírus

266 mortos e 10 524 casos confirmados de covid-19 em Portugal

5 coisas que tem de saber sobre o Second Home Lisbon