Prémio NOS Inovação 2016

Nano4 Global: Diagnosticar doenças numa questão de segundos

A carregar player...
Nano4 Global: Diagnosticar doenças numa questão de segundos

Empresa portuguesa de nanotecnologia coloca Portugal na vanguarda dos métodos de diagnóstico clínico.

“Como se de peças Lego se tratassem, as moléculas encaixam umas nas outras e, através do ADN, reconhecem a doença,” de bata branca, rodeado de pipetas, tubos de ensaio e outros materiais de laboratório, Pedro Baptista, um dos co-fundadores da Nano4 Global, explica ao Dinheiro Vivo o funcionamento do produto da sua startup, que promete revolucionar o mercado dos métodos de diagnóstico clínico.

A ideia é agilizar a forma como, na indústria médica e farmacêutica, se rastreiam, diagnosticam e acompanham as doenças. Com um dos kits portáteis da empresa, é possível perceber se uma pessoa sofre ou não de determinada patologia. Vertendo algumas gotas recolhidas do organismo do paciente, observa-se a reação do líquido. Se continuar vermelho, é porque a doença está presente. Mudando de cor, estamos perante um caso negativo. A reação é instantânea. “A nossa maior vantagem competitiva é o facto de o nosso diagnóstico molecular ser extremamente rápido, para além de barato,” conta o investigador da Faculdade de Ciência e Tecnologia, da Universidade Nova de Lisboa, local onde trabalha a equipa da Nano4 Global.

Do laboratório para o mercado
A empresa foi fundada em dezembro de 2015, no entanto, surge no seguimento de um longo processo de investigação. Há mais de dez anos que Pedro Baptista, com os seus alunos, se dedicava a estudar a nanotecnologia aplicada às técnicas de diagnóstico médico. Em 2012, um prémio de mérito científico colocou o trabalho na ribalta e fez surgir a questão da comercialização do produto.

No ano passado, ao investigador juntaram-se Alexandra Fernandes, com um background académico e empresarial na área do diagnóstico clínico, e Filipe Assoreira, da área farmacêutica e com uma vasta rede de contactos. Os três fundaram a Nano4 Global e têm conseguido destacar-se na área do empreendedorismo: não só são finalistas do Prémio Inovação NOS como foram uma das 67 startups escolhidas no Road 2 Web Summit do programa Startup Portugal do Governo.

Ajudar em situações de urgência
Neste momento, os kits de diagnóstico já permitem a identificação de tuberculose. O próximo passo da equipa é conseguir a validação clínica da utilização do produto em casos de infeção pelo vírus zika. Ao mesmo tempo, estão a ter lugar ensaios clínicos para despiste de Leucemia Mielóide Crónica.

Atuando atualmente sobretudo em Portugal, a Nano4 Global tem em vista a internacionalização. Tem trabalhado com o mercado brasileiro e angolano para o estabelecimento de parcerias e considera que o seu método de diagnóstico será, sobretudo, mais útil em situações que necessitem de uma solução rápida e rigorosa, em tempo real. “Poderíamos, por exemplo, fazer a diferença nos pontos de entrada de refugiados na Europa, ajudando a um rastreio de doenças mais eficaz, facilitando nos processos de triagem,” acredita Pedro Baptista.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Primeira greve da história da Autoeuropa realizou-se a 30  de agosto. Fotografia: JFS / Global Imagens

Autoeuropa com seis listas para a comissão de trabalhadores

Fotografia: MIGUEL A. LOPES/ LUSA

OE2017: Défice desce para 1,9% do PIB no primeiro semestre

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, discursa durante a cerimónia de inauguração da nova área de produção da Bosch Security Systems, na zona Industrial de Ovar. Fotografia: PAULO NOVAIS/LUSA

Marcelo espera défice de 1,5% para este ano e crescimento de 3,2%

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Nano4 Global: Diagnosticar doenças numa questão de segundos