empreendedores

Protechting. 40 startups disputam lugar no acelerador

Hoje e amanhã, 40 startups selecionadas apresentam as suas ideias de negócio em três áreas distintas: saúde, proteção e prevenção, e serviços.

Dois dias, 40 startups, três minutos de pitch para cada uma, cinco minutos de perguntas e respostas e cinco minutos de avaliação individual por cada elemento do júri. Este será o ritmo frenético vivido hoje e amanhã na segunda edição do programa de aceleração de startups Protechting, uma iniciativa da Fosun e da Fidelidade, em parceria com a Beta-i.

Depois de encerrado o período de candidaturas, que decorreu até 26 março, é agora tempo das 40 startups selecionadas numa primeira fase apresentarem as suas ideias de negócio em três áreas distintas: saúde, proteção e prevenção, e serviços. Destas, serão escolhidas até 25 startups internacionais que participarão no bootcamp (com a duração de uma semana) que terá lugar em maio, em Lisboa.

Depois disso, segue-se o programa de aceleração propriamente dito, ao longo de oito semanas, entre 22 de maio e 7 de julho, no qual participarão as 15 melhores startups escolhidas pelo painel de mentores.

Após dois meses de aceleração, a sessão final de apresentação (pitch day) está marcada para 7 de julho, na qual serão anunciados os três vencedores. Os prémios incluem a possibilidade de incubação na Beta-i, um roadshow em Xangai, na China, um prémio monetário de 10.000 euros para o primeiro lugar e ainda a possibilidade de captação de investimento por parte dos mentores e investidores presentes. Soma-se ainda o mentoring e networking.

As startups selecionadas, além de terem acesso a workshops, têm direito a um pack de seguros e ao contacto com mentores nacionais e internacionais. Stephan Morais (diretor executivo da Caixa Capital), Carlos Silva (cofundador e CEO da Seedrs), Isabel Vaz (CEO da Luz Saúde) e Vasco Pedro (CEO da Unbabel) são alguns dos nomes anunciados. As startups escolhidas para o programa de aceleração poderão participar também via Skype, ou seja, não estão obrigadas a permanecer todo o tempo nas instalações na Beta-i entre início de maio e início de julho.

Depois da primeira edição do Protechting, a Fosun e a Fidelidade uniram-se de novo este ano para procurar startups nacionais e internacionais em áreas como a gestão de risco, fintech e insuretech (finanças e seguros) e projetos na área da saúde. Esta segunda edição do acelerador conta com algumas melhorias, a começar pela exigência de projetos com maturidade no negócio e que tenham um modelo já comprovado. Ciber risco, robot adviser, chat analytics, doenças crónicas, novos modelos de distribuição, telemedicina e customer analytics são as áreas de destaque na segunda edição deste programa.

“O Protechting é um projeto paradigmático. Áreas como as Finanças e a Saúde têm sofrido uma grande disrupção nos últimos anos”, assinalou Pedro Rocha Vieira, presidente executivo da Beta-i, organização parceira da Fosun e da Fidelidade neste projeto, no lançamento do acelerador. Por seu lado, Sérgio Carvalho, responsável de marketing da Fidelidade, destacou que “a inovação está do ADN da marca. O nosso negócio está a evoluir e a Fidelidade tem de fazer algo diferentes para garantir o seu futuro”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Donald_Trump_(28760020353)

100 dias de Trump. Afinal, o que mudou?

António Costa. Fotografia: ESTELA SILVA/LUSA

OCDE alerta para IDE que pouco ou nada produz

Rogério Carapuça, presidente da APDC

Fotografia: Reinaldo Rodrigues/GI

Rogério Carapuça: “A competitividade das empresas não depende da Web Summit”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Protechting. 40 startups disputam lugar no acelerador