A Chamuçaria: inovação que levou à fusão de três culturas

Há muito que chegaram a Portugal, mas só agora se adaptaram à inovação: novos sabores e até novas cores deram uma nova vida a este pastel tradicional indiano, a que Shahid Merali deu um novo brilho com influências indianas, moçambicanas e portuguesas.

Shahid Merali conseguiu ver os três lados da questão. Inspirado nas suas origens indianas, moçambicanas e nacionais e nos três lados das chamuças, resolveu inovar com um dos pastéis mais tradicionais e famosos da cozinha mundial, encontrando soluções também para vencer os efeitos da pandemia e do confinamento sobre os restaurantes.

Depois de viver cerca de 15 anos em Angola, e a trabalhar em empresas na área das tecnologias de comunicação, software de gestão e de recursos humanos, Shahid Merali acaba por regressar a Portugal e investe no catering. "Senti que havia espaço para uma empresa de catering, mas com especialidade de comida indiana e a nossa comida indiana é mais ocidentalizada, não tão condimentada, nem pesada. Consegue-se comer diariamente. Encontrámos este espaço, mas como é um negócio muito passa-palavra e ia demorar muito tempo, decidimos então arrancar com um take-away, já que já tínhamos a cozinha e tudo preparado. Aí fomos também trabalhando num conceito, levámos seis meses a pensar na Chamuçaria, porque apesar de não ser originário da Índia, é das primeiras coisas em que se pensa quando pensamos na cozinha indiana", conta ao DV.

Com três gerações na família ligadas a três geografias diferentes, uma vez que os avós são indianos, os pais de Moçambique e Shahid de Portugal, apostou na inovação: "São três gerações de receitas e a nossa própria comida é já uma fusão destes três países. As receitas foram todas desenvolvidas aqui, as tradicionais era a minha mãe que já tinha, que aprendeu com a mãe dela ou com a sogra, e as outras foram criadas aqui. A de batata é a que se come mais na Índia, é a tradicional. Fizemos algumas alterações e fizemos as nossas receitas. Sempre me fez confusão olhar para as empadas e não saber qual era o sabor; daí utilizarmos estas cores, que servem para as identificar".

A Chamuçaria tem nove sabores de chamuças salgadas e três doces: frango, frango picante (a vermelha, por exemplo), cabrito, camarão, choco e lulas (a preta), peixe, batata picante, vegetais e lentilhas amarelas; as doces são de chocolate negro picante, tarte de maçã e a cremosa do chef, com um recheio de leite-creme.

"Quando estávamos a desenhar o conceito, já tínhamos do projeto anterior de take-away a de frango, picante e a de vegetais, mas quisemos inovar e apresentar mais sabores e demos largas à imaginação. Quisemos também brincar com o número três, porque a chamuça tem três lados e todo o menu é à base do três: das nove salgadas são três de carne, três de peixe e três vegetarianas, mais as três doces. Os acompanhamentos na esplanada são três para fazer um prato principal e temos três achar de limão, de manga e tamarindo.

Com o conceito lançado, Shahid Merali não quer ficar por aqui. "As chamuças têm muito para ser desenvolvidas, há um leque de criatividade enorme, também em termos de sabores, como em termos de destinos; já as enviamos congeladas e aí já chegamos a todos o país. Depois tudo depende de gostos, eu cresci a comer a chamuça no dia a seguir, e então se for no pão ainda melhor. Como as kurkuryas, feitas com as aparas da massa e que normalmente só há em casa de quem faz chamuças de raiz. Porque não dar esta experiência? É dar a nossa experiência de casa para as pessoas conhecerem que há outras formas de comer e há outros produtos, é giro conhecer a cultura também".

O restaurante fica em Telheiras, Lisboa, mas tem uma pop-up no El Corte Inglés de Lisboa, além do serviço de entregas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de