A empresa que está a revolucionar os aeroportos é portuguesa

Sistema já está em 30 aeroportos mundiais
Vision-box."> Sistema já está em 30 aeroportos mundiais

Já pensou em como seria fácil e rápido se evitasse as filas dos balcões de check-in dos aeroportos através de um processo automatizado que lesse o bilhete, confirmasse a identidade e ficasse com a bagagem? E se continuasse até ao avião sem necessidade de mais filas? Parece-lhe familiar? Então registe o nome: Vision-box.

É uma empresa portuguesa e já está em 30 aeroportos do mundo, tendo também espalhadas por vários pontos do globo 400 soluções de controlo de fronteiras, que permitem escoar os passageiros e evitar filas.

Leia também:Aeroportos facilitam final da Liga dos Campeões e ficam abertos toda a noite

No ano passado, a empresa veio reforçar a oferta tecnológica do aeroporto de Lisboa, que aderiu a 24 e-gates de última geração – mas está também nos Estados Unidos, Brasil, Colômbia, Venezuela, Austrália, Qatar, Rwanda com soluções de controlo de fronteiras.

O objetivo é facilitar a circulação de passageiros nos aeroportos sem deixar que a segurança dos países de origem e chegada seja posta em causa. O mecanismo funciona pelo reconhecimento facial e armazena os dados de forma virtual e rápida.

O mais recente projeto são os kiosks para recolha biométrica. Que fazem com que passar os pontos de controlo do aeroporto – segurança, imigração ou embarque -, seja possível apenas com o olhar para uma câmara, sem necessitar de apresentar documento de identificação ou o cartão de embarque.

O processo é simples: ao chegar ao aeroporto, o passageiro dirige-se a um ponto de check-in, que vai verificar a autenticidade do seu passaporte e recolher os seus dados biométricos. Essa informação, que constitui o “envelope virtual do passageiro” é armazenada e partilhada através de um modelo seguro de partilha de dados com as entidades aeroportuárias, a sua linha aérea e autoridades de fronteira.

Depois, o passageiro poderá utilizar os serviços self-service de entrega de bagagem e cruzar todos os pontos de controlo do aeroporto utilizando apenas a sua biometria, ou seja, o reconhecimento facial.

Pelas vantagens que traz para os passageiros e para a gestão aeroportuária, a Vision-Box foi a empresa escolhida (entre 10 de todo o mundo) para fazer uma apresentação do seu produto na mostra tecnológica de Aruba ao largo da costa da Venezuela, um evento quer reuniu altas entidades da Europa e da América Latina.

E os números que levou na carteira são sorridentes: é já o número 1 no fornecimento de sistemas de controlo automatizado de fronteiras e soluções electrónicas de identidade; já serviu 250 milhões de passageiros e é a primeira empresa com sistema de e-gate baseada no reconhecimento facial. Entre todas as funcionalidades (mais ou menos modernas) que apresenta, a Vision-box já serve 30 aeroportos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
João Lousada no deserto de Omã como astronauta análogo, em 2018

João Lousada. Conheça o primeiro português a liderar a Estação Espacial

João Lousada no deserto de Omã como astronauta análogo, em 2018

João Lousada. Conheça o primeiro português a liderar a Estação Espacial

Fotografia: REUTERS/Henry Nicholls - RC122C9DD810

Cartas de Boris Johnson causam surpresa e perplexidade em Bruxelas

Outros conteúdos GMG
A empresa que está a revolucionar os aeroportos é portuguesa