startups

A realidade de um investidor famoso numa startup supera a ficção

Ashton Kutcher, ator e investidor de sucesso
Ashton Kutcher, ator e investidor de sucesso

O investimento de uma celebridade numa startup pode ter vantagens e ser muito eficaz para a entrada no mercado

O que se ganha quando uma celebridade decide apostar na sua ‘start up’? A resposta dos especialistas é que esses investimentos devem ser observados, mas não seguidos. No entanto, a realidade, mostra que em muitos casos pode ter vantagens e serem muito eficazes. Ou seja, com um investidor famoso, de uma forma totalmente legítima, passa a ter acesso a pessoas-chave que não teria.

E os casos são vários. Muitas celebridades que investem numa ‘start up’ que surge nas redes sociais, nos jogos de vídeo ou nos dispositivos móveis, e com um investimento de um famoso, os seguidores vão perceber que se trata de uma tendência ou produto interessante.

Além disso, os famosos sabem como criar uma conexão emocional com seus clientes, constroem a sua ‘comunidade’ e ligam os seus fãs mais leais. Para os especialistas, esta é uma lição valiosa para qualquer criador de ‘start up’ que quer envolver funcionários, parceiros, investidores e clientes para no seu projeto. E citam o exemplo desta capacidade de impulso Lady Gaga, que também é uma celebridade/ investidor: é considerada uma grande estrategista, que ajuda a fazer crescer uma marca. Ela gera um grupo de fanáticos consumidores por muitos anos e investe a maior parte dos seus esforços em apenas 1% do seu público, precisamente os que servem como agentes de ‘boca a boca’, fazendo seus seguidores em embaixadores da marca.

Um caso real de um famoso e investidor é Ashton Kutcher. O ator, que já representou em papéis para o cinema e televisão, é um dos empreendedores mais bem sucedidos, é um investidor witted que aparece no ranking de celebridades que são business angels.

Ashton Kutcher foi Steve Jobs no cinema, e como um substituto para Zascandil Charlie Sheen em Two and a Half Men ganha cerca de 20 milhões de euros por ano na série de televisão retratando um empresário de tecnologia com muitos problemas e dificuldades, exceto quando se refere às suas finanças pessoais.

Dados recentes sobre a carteira de investimentos Kutcher rondam o valor de 220 milhões de euros, e quase sempre ocupa o primeiro lugar no ranking de celebridades (incluindo na Forbes) que investem em novas empresas. A diferença entre Kutcher e outras celebridades que investem em determinados empresas que estão a começar, é que o ator não se limita a entrar no capital das empresas, mas gere e administra seus fundos e usa sua fama e nome para promover essas empresas.

A-Grade

Em 2010 criou juntamente com o investidor bilionário Ron Burkle e Guy Oseary o fundo de investimento A-Grade Investments, no valor de 100 milhões de dólares (90 milhões de euros). Oseary também é conhecido por ser o gerente da cantora Madonna, e fundador da Maverick Records, além de um conhecido investidor conhecido: as suas apostas iniciais de investimento foram em empresas como a Spotify, Shazam e a Uber.

A A-Grade em 2011 investiu 2,5 milhões de dólares (2,2 milhões de euros) em Airbnb, e agora a sua quota vale cerca de 90 milhões (80 milhões de euros). Os 500.000 dólares (450 mil euros) que colocaram na Uber têm crescido para 60 milhões (50 milhões de euros). De acordo com especialistas, Airbnb e Uber têm sido os maiores sucessos de Kutcher, que também investiu no Flipboard, Foursquare, Skype, Path, uma rede social para compartilhar fotos, ou Hipmunk, relacionados com viagens. Não esquecendo da Primavera, um comércio móvel aplicativo conhecido como “The Tinder moda”.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: António Pedro Santos / Lusa

BCP devolve 12,6 milhões aos trabalhadores para compensar cortes salariais

light-1208275_1280

Bruxelas diz sim: Governo pode baixar IVA da luz de 23 para 6%

A presidente do Conselho das Finanças Públicas, Nazaré Costa Cabral. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA / LUSA

Conselho das Finanças elogia Centeno pelo “controlo das despesas”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
A realidade de um investidor famoso numa startup supera a ficção