empreendedorismo

Academia da Compal tem 60 mil euros para apoiar empreendedores

Formação prática no terreno
Formação prática no terreno

Academia do Centro de Frutologia Compal quer fomentar a inovação na fruticultura nacional e estimular a colaboração e parcerias em novos negócios.

As candidaturas podem ser apresentadas aqui até 3 de março. Serão escolhidos os projetos de 12 empreendedores para participar na Academia, sendo que os três melhores recebem uma bolsa de 20 mil euros.

A edição de 2016 da Academia do Centro de Frutologia Compal terá um programa de formação “mais robusto, reflexo da preocupação com o reforço de alguns módulos, entre os quais o de marketing”, diz a empresa em comunicado e dando conta que pretende, assim, responder “às necessidades da nova geração de empresários agrícolas”. Mantém-se módulos em sala como fruticultura, gestão agrícola, associativismo, tecnologia e sustentabilidade, assim “como a forte aposta na formação prática através de sessões em terreno”. Para além da formação teórica e prática, estes empreendedores terão ainda oportunidade de integrar uma rede de networking, abrindo portas para novas colaborações e parcerias, diz o comunicado.

Podem candidatar-se empreendedores que pretendam criar ou expandir o seu negócio frutícola, sendo que os projetos devem incidir em, pelo menos, uma das seguintes frutas: Alperce, Ameixa, Ameixa Rainha Cláudia, Cereja, Clementina, Diospiro, Figo, Laranja, Limão, Maçã, Melancia, Melão, Meloa, Marmelo, Pêssego e/ou Pera Rocha.

“Esta iniciativa surgiu em 2012 para colmatar as principais necessidades identificadas no setor agrícola, entre as quais a crescente aposta da nova geração de empresários agrícolas no reforço das competências de gestão”, afirma José Jordão, Presidente do Centro de Frutologia Compal.

A Academia é composta por vários membros que apoiam e participam nesta iniciativa, entre os quais entidades do setor agrícola, instituições académicas, organizações de produtores, instituições bancárias, empresas de tecnologias e energia.

Esta notícia foi atualizada a 19 de fevereiro devido ao alargamento do prazo de candidaturas até 3 de março.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Empresas com quebras de 25% vão poder pedir apoio à retoma

Balcão da ADSE na Praça de Londres em Lisboa.

( Jorge Amaral/Global Imagens )

ADSE quer 56 milhões do Orçamento do Estado por gastos com isentos

Fotografia: Miguel Pereira / Global Imagens

Quase 42 mil empresas recorreram a apoios que substituíram lay-off simplificado

Academia da Compal tem 60 mil euros para apoiar empreendedores