fazedores

Academia de Código abre candidaturas para Lisboa, Porto, Fundão e Terceira

A Academia de Código, liderada por João Magalhães, organiza cursos intensivos de programação. FOTO: Direitos Reservados
A Academia de Código, liderada por João Magalhães, organiza cursos intensivos de programação. FOTO: Direitos Reservados

A startup que dá formação em programação abriu candidaturas para os seus bootcamps em Lisboa, Porto, Fundão e Terceira.

A Academia de Código, startup portuguesa que dá cursos intensivos de programação, abriu candidaturas para os seus próximos cursos. “A Academia de Código volta a abrir candidaturas para os seus bootcamps [cursos intensivos] de programação, de 14 semanas intensivas de formação em Java e JavaScript, com início em janeiro. No final, os Junior Software Developers neles graduados podem vir a fazer parte do grupo de 96% de alumni que a Academia de Código já ensinou e que estão hoje empregados com um ordenado médio de 1.150 euros/mês. As únicas condições são ter mais de 18 anos, saber inglês, estar disponível ‘de corpo e alma’ para este desafio e completar a candidatura ao campus escolhido em academiadecodigo.org”.

No total, existem 130 vagas disponíveis para os cursos que arrancam no início de 2019. Para Lisboa, estão abertas 40 vagas e as candidaturas terminam a 5 de janeiro. No Porto, o número é ligeiramente menor – 30 vagas – sendo possível candidatar-se até 6 de janeiro. “Em Lisboa e no Porto, o valor dos bootcamps é de 6.000 euros, com três soluções de pagamento: pagar numa só prestação, dividir o valor por três prestações iguais ou ainda beneficiar das parcerias que a Academia de Código estabeleceu com o Banco BNI Europa e a Novabase, que cobrem parte dos custos (ou na totalidade, em alguns casos)”.

No Fundão vão estar disponíveis 20 vagas “para futuros Full Stack Software Developers de qualquer parte do globo, até 16 de dezembro. Aqui o aluno só começa a pagar o curso quando, e se, encontrar trabalho na área das TI. Caso não encontre emprego no prazo de 12 meses, o curso é totalmente gratuito. Se, findo o curso, o aluno decidir aceitar uma proposta numas das empresas do Fundão, terá apenas de pagar metade do valor total do curso (2.500 euros). Para quem pretender fazer o curso no Fundão mas depois trabalhar fora da região, o pagamento deve ser feito na totalidade (5.000 euros)”.

Já na ilha açoriana da Terceira vão abertas até 30 dezembro 40 vagas “para quem tenha residência fiscal no arquipélago”. “O bootcamp e alojamento são oferecidos a 100% de forma a fixar talento nessa ilha. Cumpridos todos os objetivos do bootcamp pelo aluno, o emprego numa das empresas sediadas na ilha está garantido”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ensino profissional é uma das áreas em que Portugal se posiciona pior na tabela do IMD World Talent Ranking 2019. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal é 23º no ranking mundial de talento. Caiu seis posições

O ensino profissional é uma das áreas em que Portugal se posiciona pior na tabela do IMD World Talent Ranking 2019. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal é 23º no ranking mundial de talento. Caiu seis posições

Foto: D.R.

TAP soma prejuízos de 111 milhões até setembro. E vai contratar mais 800 pessoas

Outros conteúdos GMG
Academia de Código abre candidaturas para Lisboa, Porto, Fundão e Terceira