AddVolt vai produzir energia para camiões em Espanha e Alemanha

Startup incubada no UPTEC recebeu financiamento em ronda de investimento seed que contou com participação da Portugal Ventures

A AddVolt, startup portuguesa que desenvolveu um dispositivo para produzir energia em camiões, vai entrar em 2017 em Espanha e Alemanha. Isto será possível depois de a startup incubada no UPTEC (Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto) ter recebido um investimento em fase seed (semente).

Em Espanha, a AddVolt já tem "contactos com transportadoras e distribuidores", que vão começar a ser trabalhados. "Em abril arranca um projeto-piloto com uma transportadora, que vai testar a nossa tecnologia", adianta Bruno Azevedo, CEO, em declarações ao Dinheiro Vivo. Na Alemanha, a startup já conta com um distribuidor. "A expetativa é ter, a partir de junho, a tecnologia a circular a bordo dos camiões." Nestes países há cidades com fortes restrições ao nível das emissões de dióxido de carbono e do ruído, que têm levado à eletrificação dos transportes.

A AddVolt desenvolve o WeTruck, produto amigo do ambiente direcionado a empresas de logística e transporte de produtos e que produz energia a partir de painéis fotovoltaicos instalados no topo dos camiões e que recupera energia durante as travagens e desacelerações do veículo.

Nesta ronda de investimento participaram a Portugal Ventures, a empresa de investimento alemã Abacus alpha e o veículo de investimento alemão Momentum Holding. Para breve também está prevista a entrada no capital da associação europeia de promoção de investimento InnoEnergy e que investe habitualmente em startups. Estes investidores juntam-se à 2bpartner, que está no capital desde a fundação da startup, em junho de 2014.

Para o líder da Portugal Ventures, Celso Guedes de Carvalho, “o

investimento da sociedade de capital de risco na AddVolt foi motivado pela sua tecnologia

diferenciadora - já validada por um grande cliente nacional (a Luís Simões) - e pelo seu elevado

potencial de aplicação internacional, numa altura em que a redução do uso de combustíveis

fósseis e a aposta numa utilização eficiente dos recursos energéticos são determinantes", segundo nota enviada às redações.

Não foi relevado o montante da operação mas sabe-se os quatro fundadores da empresa (Bruno Azevedo, Ricardo Soares, Miguel Sousa e Rodrigues Pires), adiantou ao Dinheiro Vivo o CEO, Bruno Azevedo. A AddVolt foi uma das 67 startups que representaram oficialmente Portugal durante a última Web Summit.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de