Fazedores

Ageas procura startups com soluções para a saúde

imagem_abertura_Areagest_Inovacao_Outubro_DV

Seguradora juntou-se à plataforma de inovação H-Farm para programa de inovação que vai durar até ao final do ano e ajudar financeiramente as startups.

A Ageas Portugal está à procura de startups com soluções para a saúde, novos modelos de negócio e melhoria de processos. A seguradora juntou-se à plataforma de inovação H-Farm para desenvolver o programa de aceleração INsure, que vai decorrer até ao final deste ano e que vai financiar o desenvolvimento de protótipos. Este programa vai decorrer durante quatro meses e terá o epicentro em Lisboa.

Na área da saúde, a Ageas procura soluções para a prevenção, avaliação de sintomas e adesão ao tratamento, ferramentas de partilha de informação confiáveis, e problemas de saúde mental e reprodutiva.

Nos novos modelos de negócio, deverão concorrer empresas que “apoiam as pessoas na sua procura pela felicidade; para gerir o stress; simplificar o dia-a-dia dos habitantes dos grandes centros urbanos e daqueles que viajam frequentemente; para alcançar um equilíbrio entre o trabalho e a vida privada; para melhor gerir as poupanças e investimentos; e para encorajar comportamentos sustentáveis que melhorem a qualidade de vida”, segundo a nota de imprensa.

A Ageas também procura soluções tecnológicas para melhorar a eficiência do grupo, ao fazer análise preditiva, deteção de fraude, serviços de pagamento e permitir a melhoria da experiência do consumidor em espaços físicos.

As candidaturas para este programa estão abertas até 20 de julho e poderão ser feitas através desta página. Os projetos candidatos devem ter uma equipa de fundadores e apresentar um produto funcional.

Depois das inscrições, há 10 startups que serão escolhidas para o dia de seleção, no início de outubro. Após esse evento, o júri vai escolher cinco startups para o programa de aceleração, que irá iniciar-se nesse mês e terá duração de quatro meses.

Durante a fase de aceleração, as startups vão ter um apoio financeiro entre 15 mil e 25 mil euros para desenvolver um projeto-piloto, ter acesso a ferramentas técnicas como Amazon Web Services, IBM Cloud, InVision, Typeform, and Brain.fm, e ainda beneficiar de um espaço de trabalho partilhado em Lisboa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Nazaré Costa Cabral, presidente do Conselho de Finanças Públicas. (João Silva / Global Imagens)

Cenário severo em 2020. Défice nos 9%, dívida em 142%, desemprego nos 13%

O primeiro-ministro, António Costa. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Apoios à TAP formalizados “em breve” depois de consultas com Bruxelas

Foto: Fábio Poço/Global Imagens)

Costa promete linha para converter AL em arrendamento para jovens

Ageas procura startups com soluções para a saúde