Prémio Inovação NOS

Agroop prepara-se para conquistar agricultores suecos e brasileiros

Bruno Fonseca, 29, é designer e decidiu criar a Agroop por sugestão de um cliente agricultor.
Bruno Fonseca, 29, é designer e decidiu criar a Agroop por sugestão de um cliente agricultor.

Já perto de meio milhar de portugueses utilizam as funcionalidades da app da Agroop, finalista do Prémio Inovação NOS 2015.

Se 2014 foi o ano da ideia, 2015 foi o financiamento e 2016 foi ano da concretização, o ano que vem prepara-se para ser o ano da expansão da Agroop – a startup que concebeu uma aplicação que ajuda os agricultores a calcular os custos reais de produção, a organizar tarefas e a gerir o negócio. A finalista do Prémio Inovação NOS 2015 prepara-se para, em 2017, dar início à internacionalização para a Suécia e para o Brasil e lançar novos produtos.

“Temos parceiros no Brasil e na Suécia – um dos nossos investidores é desta nacionalidade – e estamos a traduzir o software e a contratar agentes para começar o processo de internacionalização em meados de 2017”, revelou Bruno Fonseca, um dos fundadores da startup que já recorreu, por duas vezes, ao equity crowdfunding através da Seedrs e ultrapassou sempre os objetivos. Em 2015, conseguiu angariar mais de 80 mil euros, ultrapassando os 75 mil euros pedidos e obtendo o interesse de 134 investidores nacionais e internacionais, avaliando a startup em perto de 1,4 milhões de euros. Este ano, na segunda ronda, o objetivo de 75 mil euros foi ultrapassado em mais 20 mil euros.

Este ano foi o ano em que o primeiro produto da Agroop chegou de facto ao mercado, depois de meses de testes beta: a Agroop Operacional, uma aplicação baseada na cloud que permite ao agricultor aceder aos dados de produção no smartphone, no tablet ou no PC. “Foi lançado em fevereiro. Neste período, já temos 500 utilizadores registados, 70 ativos e 30 pagantes”, desvenda o empreendedor.

Com um perfil de utilizador ainda jovem, com menos de 45 anos, e que se dedica à agricultura a tempo inteiro, a maioria dos agricultores que já descobriram os benefícios da app têm propriedades entre 20 e 30 hectares, embora também haja uma de grandes dimensões, de 1500 hectares. Isto para dizer que a ferramenta Agroop Operacional é flexível e mais prática que as folhas de Excel que muitos agricultores utilizavam. “Tems tido um feedback muito bom da parte dos utilizadores, que têm achado a app muito intuitiva”, relata Bruno Fonseca. “Um deles contou-nos que pensava que o custo de produção de pêra rocha lhe ficava em 23 cêntimos/kg, mas desde que usa a nossa app descobriu que fica a 31 cêntimos/kg. Havia custos pequeninos que ele não registava quando trabalhava com o Excel, mas andava a perder dinheiro sem saber”, aponta.

Na calha está já um novo produto para 2017. “Antes do fim do ano arrancam os testes piloto dos nossos sensores que vão permitir a poupança de recursos hídricos e que já têm interessados. Já temos pré-encomendas”, congratula-se o empreendedor.

Neste ano de validação de conceito, a Agroop deverá faturar apenas 20 mil euros, valor que deverá quintuplicar em 2017.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Ilustração: Vítor Higgs

Indústria têxtil em força na principal feira de Saúde na Alemanha

O Ministro das Finanças, João Leão. EPA/MANUEL DE ALMEIDA

Nova dívida da pandemia custa metade da média em 2019

spacex-lanca-com-sucesso-e-pela-primeira-vez-a-nave-crew-dragon-para-a-nasa

SpaceX lança 57 satélites para criar rede mundial de Internet de alta velocidade

Agroop prepara-se para conquistar agricultores suecos e brasileiros